Três policiais miliares do 5º Batalhão estão sendo investigados pela Polícia Civil, o inquérito sob o comando do delegado Ademar Canabrava apura uma abordagem policial realizada no dia 20 de Dezembro de 2017.
Os soldados envolvidos na ação foram identificados como Eriberto Pereira, José Ribamar Olimpio Neto e Alisson Francisco Silva Sampaio.
Na ocasião, o pintor Gustavo Oliveira Silva, de 22 anos, levou um tiro no abdômen durante a abordagem no balão do São Cristóvão, zona Leste de Teresina, ele alega que "um simulacro de arma de fogo foi plantado pelos policiais em seu carro".
De acordo com o delegado, o pintor informou em depoimento que parou em um posto de gasolina na avenida Homero Castelo Branco e ao deixar o local, teria causado um dano na bomba de combustível, porém resolveu deixar o local assim mesmo, sem verificar se teria causado prejuízo ao estabelecimento, foi aí que o frentista teria acionado a polícia.
Segundo o delegado barrense Ademar Canabrava, os depoimentos dos policiais se contradizem
“O policial envolvido disse que a vítima durante a abordagem, estava com uma mão para fora do veículo apontando uma arma de fogo para a viatura e, para se defender, disparou contra o carro. Depois que o motorista parou o carro e eles fizeram uma revista e encontraram um simulacro de arma embaixo do banco do motorista”, disse o delegado.
Gustavo Oliveira que teve que passar por uma cirurgia de reconstrução do intestino, afirma que após ser baleado, foi levado para a Central de Flagrantes e só conseguiu falar com a família no dia seguinte.
“Quando fui avisar minha família eu já estava na enfermaria do hospital no dia seguinte, por volta das 3 horas da tarde”, afirma o pintor que ainda teve que pagar uma fiança de R$ 1.900, para ser liberado.
O inquérito policial deve ser encaminhado à justiça nesta quinta-feira (04). Os policiais envolvidos na abordagem não foram afastados e sequer respondem a processo administrativo.

Reações:

Postar um comentário

 
Top