O escritor, historiador, radialista, ambientalista Elias Barros Medeiros Junior, um dos nomes ilustres da sociedade de Esperantina, cidade distante 170 quilômetros ao norte de Teresina, saiu pela zona urbana da sua cidade colhendo pneus de veículos deixados de forma irresponsável nas ruas e terrenos baldios, causando graves danos a Natureza.

Em sua página na rede social Facebook, Elias Medeiros Junior questiona a falta de consciência ambiental das pessoas que não dão destino adequado aos pneus usados.

O escritor e ambientalista se tornará em breve um dos imortais do seleto grupo da Academia de Letras do Vale do Longá. Eleito em Dezembro de 2017, ele será empossado numa das cadeiras do conceituado sodalício no próximo dia 17 de Fevereiro de 2018, às 9 horas da manhã, no Clube Recreativo Princesa do Longá, em Esperantina. Elias Barros Medeiros Junior ocupará a cadeira vaga com o falecimento do poeta Pedro Nonato da Costa, natural de Alto Longá-PI. A Academia de Letras do Vale do Longá possui 40 cadeiras,  congrega no seu seio acadêmico os mais representativos nomes da cultura e inteligência dos 40 municípios da sua região geopolítica.



Abaixo, leia um histórico sobre a borracha e o pneu.


BORRACHA E O PNEU
A borracha natural é um polímero obtido da seiva da seringueira, árvore de origem amazônica, mas que ganhou o mundo, principalmente pela rápida adaptação que sofreu quando, na virada do século, foi plantada com sucesso nas florestas tropicais asiáticas.
Para sua extração são feitos pequenos cortes superficiais no caule da árvore, através dos quais o látex é captado. Depois de sua coagulação e secagem, este material é aquecido e posteriormente processado com outras substâncias químicas, transformando-se em borracha.
Com o passar do tempo, criou-se na Alemanha a tecnologia para fabricá-la artificialmente a partir do petróleo. Apesar de a borracha sintética ser muito parecida com a borracha natural, ela não é tão resistente ao calor e racha com a mudança de temperatura muito rápida. Por isso, os artefatos são sempre constituídos de uma parcela da borracha natural.
No Brasil, a maior parte da borracha produzida industrialmente é usada na fabricação de pneus, correspondendo a 70% da produção. Além disso ela pode ser empregada em calçados, instrumentos cirúrgicos (como tubos, seringas e outros produtos farmacêuticos, além de luvas cirúrgicas e preservativos).
Os Pneus
Os pneus foram inventados em 1845, depois que o norte-americano Charles Goodyear descobriu casualmente o processo de vulcanização da borracha, quando deixou cair borracha e enxofre no fogão.
Tornaram-se então substitutos das rodas de madeira e ferro, usadas em carroças e carruagens. A borracha além de ser mais resistente e durável, absorve melhor o impacto das rodas com o solo, o que tornou o transporte mais confortável e funcional.
A maior parte dos pneus hoje é feita de 10% de borracha natural (látex), 30% de petróleo (borracha sintética) e 60% de aço e tecidos (tipo lona), que servem para fortalecer ainda mais a estrutura.
Produção X descarte
Um estudo feito pela Universidade de Vrije, na Holanda, descobriu que todos os dias são fabricados cerca de 2 milhões de novos pneus no mundo. Isto significa uma produção anual de 730 milhões de pneus (janeiro/1999). Ao mesmo tempo, hoje são transformados em sucata 800 milhões de unidades por ano.
No Brasil, em 1993, 0,5% do lixo urbano brasileiro eram de pneus velhos e fora de uso. Hoje são descartados no país cerca de 17 milhões de pneus por ano.
Reciclagem e reaproveitamento
Para recuperação e regeneração é necessária a separação da borracha vulcanizada de outros componentes (como metais e tecidos, por exemplo). Os pneus são cortados em lascas e purificados por um sistema de peneiras. As lascas são moídas e depois submetidas à digestão em vapor d’água e produtos químicos, como álcalis e óleos minerais, para desvulcanizá-las. O produto obtido pode ser então refinado em moinhos até a obtenção de uma manta uniforme ou extrudado para obtenção de grânulos de borracha.
A borracha regenerada apresenta duas diferenças básicas do composto original: possui características físicas inferiores, pois nenhum processo consegue desvulcanizar a borracha totalmente, e tem uma composição indefinida, já que é uma mistura dos componentes presentes. No entanto, este material tem várias utilidades: cobrir áreas de lazer e quadras de esporte, fabricar tapetes para automóveis; passadeiras; saltos e solados de sapatos; colas e adesivos; câmaras de ar; rodos domésticos; tiras para indústrias de estofados; buchas para eixos de caminhões e ônibus, entre outros.
Aspectos interessantes
  • O Brasil se encontra em 2º lugar no ranking mundial de recauchutagem de pneus.
  • Um pneu de avião a jato pode ser recauchutado até 30 vezes.
  • A reciclagem e reaproveitamento dos pneus no Brasil corresponde a cerca de 30 mil toneladas.
Reações:

Postar um comentário

 
Top