No chão uma das vítimas dos tiros 

A polícia espera que o cabo do Exército lotado do 2º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro - 2º BEC, acusado de ter efetuado disparos de revolver  na prévia carnavalesca 'Banda Bandida', em Teresina, se apresente nesta segunda-feira, 15 de Janeiro.
Três pessoas ficaram feridas durante o tiroteio que aconteceu na Rua 24 de janeiro,  Centro/Norte de Teresina. A vítima mais grave, Paulo Rodrigues, continua internado no Hospital de Urgência de Teresina. O cabo do Exército Brasileiro foi barrado na entrada da festa por estar portando arma de fogo, mas de forma truculenta disse que poderia sim entrar armado, pois é do Exército Brasileiro.
Segundo a polícia, o cabo, que ainda não teve o nome divulgado, chegou ao local com dois amigos às 23h45min, deu uma 'carteirada' e entrou armado, iniciado em seguida a disparar os tiros. Um dos rapazes que estavam com ele, Felipe, vulgo 'Peixe', também efetuou disparos e foi preso em seguida.
A polícia realizou diligências na casa dele, no 2º BEC, e até no seu caro, que ficou próximo a festa, com sua documentação. 
Nos últimos meses tem sido constante policiais civis, militares e até do Exército Brasileiro, se envolverem em crimes no Piauí. Geralmente de forma arrogante, eles abordam pessoas e se fazem valer do papel de autoridade policial para intimidar e até matar.

Reações:

Postar um comentário

 
Top