Avenida João XXIII, local do crime
Os policiais militares que participaram de uma perseguição na zona leste de Teresina na madrugada desta Terça-feira, 26 de Dezembro de 2017, foram levados para o Presídio Militar após matarem uma criança de 9 anos durante abordagem na Avenida João XXIII. A menina, de iniciais E.M.C da C. foi atingida no peito após o veículo onde ela estava ter sido perseguido por uma viatura por não obedecer a ordem de parada dada pelos policiais do 5º BPM.
A informação é da porta-voz da Polícia Militar, coronel Elza Rodrigues. De acordo com ela, ação se iniciou em uma barreira montada na Avenida Nossa Senhora de Fátima, próximo ao cruzamento com a Jóquei Clube, para prender carros com documentação atrasada. Um veículo informou aos policiais que estava sendo perseguido por um carro modelo Renault Clio que vinha logo atrás.
Assim que avistaram o veículo com as descrições passadas pelo condutor, os policiais deram ordem de parada, mas ela não foi obedecida. “O motorista do Clio acelerou em direção à Avenida João XXIII e a viatura saiu em perseguição, só conseguindo pará-lo na altura da Alemanha Veículos após serem efetuados disparos. Em depoimento, ele disse que não parou porque estava sem a cadeirinha infantil no banco de trás”, relata a coronel Elza.
Os tiros dados pelos policiais perfuraram os vidros do carro e atingiram Evandro da Silva Costa, 31 anos, na orelha; Daiane Félix Caetano, 26 anos, no braço; e a filha do casal, que tinha apenas 9 anos, no tórax e nas costelas. A menina foi levada em estado grave para o HUT, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito por volta das 5h45min desta terça.
A Polícia Militar informou que está apurando todo o ocorrido e possíveis falhas na abordagem dos policiais e na condução da ocorrência.  Os policiais encaminhados para o Presídio Militar foram afastados de seus postos enquanto a investigação está em andamento.


A mãe da menina disse à TV Clube que saiu de casa com a família rumo à região do Grande Dirceu, já que a filha estava com fome. Ao tentar fazer uma rotatória, Evandro Costa, seu esposo - que também foi baleado -, acabou subindo no meio-fio, momento em que a viatura começou a segui-los.

Ao reparar que estavam sem o bebê-conforto, Daiane logo disse apreensiva ao marido que os dois poderiam ser multados. Seguiram em fuga, mas assim que viu a sirene da viatura ligada a mulher pediu ao marido que parasse. "Assim que parou a polícia ficou um pouquinho distante e começou a atirar", contou. A dona de casa disse ainda que "todo mundo que estava ao redor viu" quando um dos policiais começou a recolher as cápsulas provenientes dos disparos. Relatou inclusive que os militares pediram a chave do carro e levaram para fazer a perícia.

Reações:

Postar um comentário

 
Top