A Assembleia Legislativa do Piauí prestará, nesta quinta-feira, 7 de Dezembro de 2017, uma homenagem aos 100 anos da Academia Piauiense de Letras, comemorados no dia 30 deste mês. A proposição é do deputado João de Deus. 
Além de deputados e autoridades estaduais, estarão presentes vários imortais, como Celso Barros Coelho, Herculano Moraes, Reginaldo Miranda, Fides Angélica. 
A Academia Piauiense de Letras foi idealizada por Lucídio Freitas e fundada por Antônio Chaves, Baurélio Mangabeira, Celso Pinheiro (filho de Barras), Clodoaldo Freitas, Édison Cunha, Fenelon Castelo Branco (filho de Barras), Higino Cunha, João Pinheiro (filho de Barras) e Jônatas Baptista. Outros intelectuais foram chamados, posteriormente, a integrar a Academia Piauiense, entre eles os poetas Da Costa e Silva e Félix Pacheco.
A instituição de cultura  tem 40 cadeiras, ocupadas por intelectuais egressos das mais diversas áreas, como juristas, professores, jornalistas e historiadores, que seguem na tarefa de manter viva a literatura piauiense.
Vários barrenses já tomaram assento em cadeiras da APL no longo dos seus 100 anos, e Arimatéa Tito Filho já chegou a presidência. Atualmente dois filhos de Barras estão entre os 40 membros da Academia Piauiense de Letras; o escritor, poeta, historiador, romancista, contista, professor Dílson Lages Monteiro (foto abaixo); e o escritor, historiador Wilson Carvalho Gonçalves.


Reações:

Postar um comentário

 
Top