O Delegado Renato Pinheiro (foto acima), da Delegacia de Polícia de Barras, cidade distante 120 Km ao norte de Teresina, informou a imprensa da Terra dos Poetas que irá pedir transferência do município de 46 mil habitantes, sexto maior do Piauí em população.  Ele diz que não está tendo o apoio que precisa  para combater a criminalidade. Após a prisão de funcionários por corrupção, a delegacia de Barras ficou desfalcada de mão de obra. “Eu estou registrando Boletim de Ocorrência para a  população não ficar sem atendimento”, diz o delegado Renato. 

Ele relata que cerca de 50 pessoas passam diariamente pela delegacia.” Barras é a sexta maior cidade do Piauí. Preciso de estrutura para fazer meu trabalho. Estou virando noite para colocar os inquéritos em dia’.

Renato teme que aconteça um latrocínio  na cidade. “Eu não quero assistir sem poder fazer nada, de braços cruzados. Estou em um stress psicológico’, diz.

Eram 12 servidores antes da operação:  1-Delegado, 1 agente administrativo, 1 escrivão e 9 agentes distribuídos entre plantão e expediente.

Hoje a delegacia só conta com  9 agentes: 1 delegado; 1 escrivã; e 7 policiais divididos entre plantão e expediente.

Enquanto faltam policiais civis e militares nas cidades piauienses e os bandidos aterrorizam a população do Estado, a polícia é usada rotineiramente em blitz pelas cidades, com único objetivo de "prender" carros com documentação em atraso, forçando assim os seus donos a pagarem o que devem ao Governo do Piauí. Cerca de 30% dos veículos que circulam no Piauí estão com documentação em atraso e o Estado "quebrado" financeiramente.



Reações:

Postar um comentário

 
Top