Teresina, capital do Piauí, concentra a maior população do Estado. Foto: Juscelino Reis
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou nesta sexta-feira (24) a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), trazendo dados a respeito do perfil da população brasileira. O levantamento mostra que, nos últimos quatro anos, o Piauí, vem assistindo a um pequeno decréscimo de sua população mais jovem.
O levantamento mostra que houve um aumento da população idosa no Estado e um pequeno decréscimo na população mais jovem. Tomando-se como exemplo a faixa etária de 14 a 17 anos, houve redução de um por cento de 2012 a 2016 desse público que passou de 8,5% para 7,5% em quatro anos. Já a faixa etária de 60 anos ou mais teve um incremento na mesma proporção de um ponto percentual, passando de 12,7% para 13,7%.
A faixa etária que mais cresceu nos últimos anos no Estado foi a da população entre 30 e 39 anos, segundo o IBGE. Tanto para homens, quanto mulheres, a variação foi de pouco mais de dois pontos percentuais, saindo de 14,6% em 2012 para 16,1% no ano passado.  Hoje, a maioria da população piauiense é formada por pessoas entre 30 e 39 anos e se auto-declaram pardas.
Para a socióloga Diana Duarte, os dados apresentados para o Piauí significam o reflexo do envelhecimento de um quadro nacional. Dados estes que mostram que o Brasil, daqui a alguns anos, terá parte considerável de sua população idosa. “Isso é causado pelo controle da família com o número de filhos, aumento de investimento na área da saúde e educação. Ou seja, é reflexo de mudanças no campo da política pública no Brasil”, ressalta.

Raça
Dos 3,12 milhões de piauienses, a população auto declarada parda chega a 2,2 milhões de pessoas, um percentual de 71%. Brancos representam 21,2% do total (682 mil pessoas), e auto-declarados pretos chegam a 7,6% com um total de 243 mil pessoas auto declaradas.
Apesar de ainda ser o mais alto, o número de piauienses que se auto declaram pardos deu uma reduzida entre 2012 e 2016, saindo de 71,4% para 70%. No mesmo período, o número de pessoas auto declaradas pretas aumentou de 7,2% para 7,3%. A variação no percentual de pessoas que auto declararam brancas no Piauí nos últimos quatro anos teve uma variação mínima, de 21,4% para 21,2%.
São os homens a maioria da população parda do Estado: eles representam 71,8% do total de pessoas que assim se auto-declararam. As mulheres, por sua vez, representam 70,2% da população parda do Piauí. O percentual de homens auto declarados pretos é de apenas 8,6% e o de mulheres, 6,6%.
Um dado que chama a atenção no levantamento do IBGE diz respeito ao perfil das pessoas responsáveis pelas condições de seu domicílio, ou seja, os responsáveis pelo lar. No Piauí, essa população é formada em sua maioria por homens: 1 milhão de pessoas ou 37,7% do público que cuida prove as condições de moradia e sobrevivência em suas habitações. Somente 25,1% das mulheres são as responsáveis pelo lar.
Coleta de lixo
Outro dado apresentado no Pnad diz respeito aos serviços de coleta de lixo ao destino dado aos rejeitos produzidos pela população nas áreas urbanas. Em 2016, 86,6% dos domicílios do Brasil, o lixo era coletado diretamente por serviço de limpeza. No entanto, nas regiões Nordeste e Norte esse percentual era menor 67,5% e 70,2%, respectivamente.
O Piauí é um dos estados que apresentaram os maiores percentuais de domicílios que adotavam a prática da queima do lixo: 26%, ficando atrás apenas do Maranhão, onde 29,7% dos domicílios queimam lixo. Estados como Rio de Janeiro e São Paulo apresentam os menores índices: 1,11% (0,7%, respectivamente.

(*) Letícia Santos e Maria Clara Estrêla, O Dia

Reações:

Postar um comentário

 
Top