O Ministério Público Estadual realizou audiência pública para debater a questão da vigilância sanitária na cidade de Água Branca. A reunião, que aconteceu no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no município, na última segunda-feira (30), contou com a presença do prefeito Jonas Moura; promotor Mário Normando; do presidente da Câmara Municipal, Ivon Lendl; secretários de Água Branca e população em geral.

De acordo com o promotor Mário Normando, a audiência teve como foco principal discutir o abate dos animais no Matadouro Público de Água Branca, que voltou a ser administrado pela Prefeitura do município há cerca de um mês. “A Vigilância Sanitária de Água Branca é uma grande parceira do Ministério Público. Com seu auxílio, identificamos algumas irregularidades no Matadouro. Essas irregularidades estão, aos poucos, sendo sanadas, mas para que a gente consiga uma segurança alimentar maior no fornecimento de carne, realizamos a audiência no intuito de discutir a situação também com os fornecedores de carne, pois essa colaboração da população é fundamental”, diz.

O prefeito Jonas Moura ressalta a importância das audiências públicas. “Esses momentos são de fundamental importância, pois a população participa das discussões e apresenta suas necessidades”, diz o prefeito, que ainda garantiu que a Prefeitura não está medindo esforços para corrigir os estraves encontrados no Matadouro Público: “Desde que reassumimos a administração do Matadouro estamos empenhados em solucionar os problemas de forma sistemática e no menor tempo possível”.

O coordenador da vigilância sanitária, Calor André, comenta que a equipe está engajada na fiscalização de comércios e ambientes que tratam de alimentos. Ele também fala sobre o serviço que está sendo aplicado para a readequação das regras para o funcionamento legal do Matadouro Público. “Faz pouco mais de um mês que reassumimos o matadouro e a vigilância sanitária, em parceria com o serviço de inspeção municipal, voltou a atuar para que possamos corrigir os erros do local, principalmente na questão da limpeza e abate humanitário. Também estamos providenciando o plano de gerenciamento de resíduos para diminuir o impacto ambiental do serviço”, diz.

Carlos André também destaca a parceria com o Ministério Público para o sucesso do trabalho realizado pela vigilância sanitária de Água Branca. “Nós estamos fazendo o levantamento das irregularidades e propondo as soluções cabíveis, mas mais que isso, estamos firmes na cobrança e luta para que esses problemas sejam corrigidos no menor tempo possível, e o Ministério Público e o promotor Mário Normando têm sido grandes parceiros nesse trabalho, principalmente no diálogo com a população”, finaliza.





Reações:

Postar um comentário

 
Top