A professora barrense Filomena da Cunha Barros faleceu às 16 horas de ontem, Terça-feira, 16 de Maio, em Teresina, onde estava há três meses sob cuidados médicos.

O corpo da professora Filomena Barros, de 74 anos (nasceu em 10/12/1942), foi velado das 20 horas de ontem até as 11 horas da manhã de hoje, 17 de Maio, na Casa de Velórios Pax União, em Teresina, próximo a Academia Piauiense de Letras. No local a Família Barros recebeu muitos amigos que prestaram as últimas homenagens a pedagoga que foi responsável pela educação de várias gerações de filhos de Barras. Representando as famílias barrenses o engenheiro Chico Correia Filho fez rico e emocionado discurso, destacando a importância da falecida professora para educação no Município de Barras, citando também a saudosa professora Rosa da Cunha Barros, genitora de Filomena, tida como uma das maiores educadoras da história da Terra dos Governadores.

Após a Missa de Corpo Presente, realizada pontualmente as 11 horas, o corpo da professora Filomena da Cunha Barros saiu em cortejo pela Avenida Miguel Rosa/Avenida Frei Serafim/Avenida João XXIII até o Cemitério Parque Jardim da Ressurreição, Bairro Alto da Ressurreição, oportunidade em que uma solenidade reservada aos parentes e amigos mais próximos da Família Barros, culminou como o ato final das homenagens antes do sepultamento. Na solenidade reservada, o jornalista e escritor Reinaldo Barros Torres, membro da Academia de Letras do Vale do Longá, Academia de Letras da Região de Sete Cidades e União Brasileira de Escritores, sobrinho da falecida, fez em nome da Família Barros, emocionado discurso citando um histórico desde o momento em que seus avós assentaram suas tendas em Barras, nos idos anos de 1928 e em especial a partir do casamento dos seus avós Raimundo de Sousa Barros e Rosa da Cunha Barros, acontecido em 1933, até os dias atuais com a morte do último descendente da família a residir na Terra dos Governadores - a professora Filomena da Cunha Barros.

Após o pronunciamento de Reinaldo Barros Torres o cerimonial do Cemitério Parque Jardim da Ressurreição, anunciou o momento do fechamento da urna funerária e o corpo de Filomena da Cunha Barros foi levado até um dos jazigos da família, onde foi sepultado sob  aplausos às 12h24min desta Quarta-feira, 17 de Maio de 2017.

Abaixo imagens cedidas pela família de momentos do enterro no Cemitério Parque Jardim da Ressurreição, em Teresina.












Reações:

Postar um comentário

 
Top