A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) quer desmatar uma área de aproximadamente 175 mil hectares compreendidos nos municípios de Floriano, Jerumenha, Nazaré do Piauí, Canavieira, Itaueira, Pavussu e Uruçuí, no sudoeste piauiense. Já foram adquiridos cerca de 105 mil ha. A flora e a fauna da região devem dar lugar a plantio de soja e eucalipto. Com previsão de investimento orçado em R$ 540 milhões, a iniciativa promete gerar 5 mil empregos na região durante a fase de implantação. Executivos da CSN apresentaram a proposta ao governador Wellington Dias no final do ano passado e ficaram animados com a receptividade.
Ávido por crescimento econômico e geração de emprego e renda para sair da pobreza, o Piauí não pode continuar se empolgando tanto com empresas que vêm de fora apenas para explorar nossas riquezas. O que vamos ganhar com uma plantação de eucalipto? Os empregos gerados na fase de plantação e corte são insignificantes diante dos transtornos ambientais provocados impiedosamente. Temos que pensar mais alto. Chega de festejar projetos alheios que não são capazes [e nem se propõem] de mudar nossa (ainda) triste realidade.
Visita de cortesia, sei...
O que tem de encontros nada republicanos nesses tribunais sendo chamados de “visitas de cortesia” não está no script do mais imoral enredo de corrupção que se possa imaginar.
Muita estrada pela frente
A prefeitura de Paes Landim-PI prevê que neste ano vai precisar gastar R$ 598.971,00 para trocar pneus e baterias da frota que possui. A licitação será nesta segunda-feira (13), às 9h, na sede do Poder Executivo Municipal. 
E as máquinas do PAC?
Em Wall Ferraz-PI, a prefeitura vai licitar, na quarta-feira (15), R$ 160.188,00 para contratação de máquinas a serem usadas na recuperação de estradas vicinais. Até aí tudo dentro da lei. Não pode é contratar uma empresa para emitir notas fiscais de serviços executados com máquinas do PAC, como fazem muitos gestores Brasil a fora.
(*) Texto: Rogério Holanda

Reações:

Postar um comentário

 
Top