Na tarde desta Terça-feira, 14 de Fevereiro,  um comerciante foi preso na cidade de União, distante 50 Km de Teresina, suspeito de fazer agiotagem na região. Segundo a polícia o homem foi denunciado por uma das vítimas, que estaria sofrendo ameaças.
O suspeito foi identificado como Raimundo Alves de Lima, de aproximadamente 55 anos. Ele seria comerciante e teria seus negócios no Estado do Maranhão, mas residia na cidade de União.
Segundo Júnior Lopes, chefe da investigação, uma vítima do homem fez a denúncia. “A pessoa informou que ele estava cobrando cerca de 40% de juros e que estaria, inclusive, sofrendo ameaças”, disse.
A prisão de Raimundo aconteceu no Bairro São Sebastião, no centro da cidade de União e com ele, foram encontrados cerca de 60 cartões de crédito, R$ 24 mil em dinheiro, vários talões de cheques, promissórias, além de uma arma de fogo calibre 38 com munições.
O homem foi levado para a delegacia, onde os procedimentos legais serão feitos.

Agiota ofereceu R$ 10 mil para policial...


Para tentar fugir da prisão, o comerciante Raimundo Alves de Lima, teria tentado subornar o chefe da investigação, Júnior Lopes. Segundo Júnior Lopes, o agiota chegou a oferecer-lhe R$10.000,00 para não ser preso.

Veja o que diz a Lei

Além da Lei da Usura, a prática da agiotagem é considerada crime também pela Lei nº 1.521/51, que estabelece pena de detenção de seis meses a dois anos. O artigo 71 do Código de Defesa do Consumidor proíbe “utilizar, na cobrança de dívidas, de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas incorretas ou enganosas ou de qualquer outro procedimento que exponha o consumidor, injustificadamente, a ridículo ou interfira com seu trabalho, descanso ou lazer”. Ele prevê detenção de três meses a um ano, além de multa.

Se você está sofrendo ameaça de agiota, saiba como agir...
Se você conhece alguém que seja agiota e que esteja ameaçando pessoas que lhe pediram dinheiro emprestado, ligue de imediato para a Polícia Militar do Piauí através do telefone 190 ou para a Polícia Federal através do número  (86) 2106-4937, seu nome será mantido em sigilo.

Reações:

Postar um comentário

 
Top