O Hospital Regional Leônidas Melo, em Barras, realizou, neste fim de semana, o primeiro mutirão oftalmológico, com oferta de consultas, exames e cirurgias de catarata, para atender pacientes a partir dos 60 anos de idade, de nove municípios. Com essa especialidade, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) realiza o quarto mutirão no formato fixo em hospital regional, além do programa Olhar Bem, que já atendeu mais de nove mil pacientes em todo o Piauí.
De acordo com a diretora do hospital, Layane Santos, foram 142 consultas e 92 procedimentos cirúrgicos realizados no sábado (24) e domingo (25), atendendo a população de Barras, Batalha, Campo Largo do Piauí, Matias Olímpio, Nossa Senhora dos Remédios, Porto, Cabeceiras do Piauí, Boa Hora e São João do Arraial.
“Esse é o primeiro mutirão nessa especialidade médica. Estamos felizes com o resultado alcançado, em poder proporcionar mais saúde à população idosa. Ao final de outubro, faremos a segunda etapa, com a cirurgia do segundo olho desses pacientes”, anuncia a diretora. “A demanda é grande. E depois que o Estado retomou a administração do hospital é o primeiro mutirão realizado no município”, informa Layane, enfatizando que o hospital faz, em média, cem procedimentos cirúrgicos por mês.
João Evangelista da Silva, 77 anos, da zona rural de Cabeceiras, foi o primeiro paciente a entrar no centro cirúrgico. Evangelista já não enxergava há dois anos, o que representa um grande perigo, como contou o sobrinho que cuida dele, José Edmilson. “Ele sai e demora a voltar porque não enxerga. Tudo que ele faz é com muita dificuldade. Tenho certeza que, com essa cirurgia, vamos ter mais rédea, porque vai enxergar tudo e querer fazer muito mais”, afirmou José.
O grupo de teatro Anônimos da Alegria animava os pacientes antes das cirurgias( Foto: Ascom Sesapi)Para a realização do mutirão, o hospital foi totalmente adaptado para atender a demanda. O centro cirúrgico passou por adequações, conforme legislação sanitária. O médico oftalmologista Thiago Castro foi o especialista responsável, que contou com toda a equipe de funcionários do Hospital Regional, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares, além de apoio administrativo e técnico.
Anônimos da Alegria
Quem esteve animando os pacientes antes das cirurgias foi o grupo de teatro Anônimos da Alegria, da Unidade Escolar Gervásio Costa. Formados por onze alunos do 3º ano do Ensino Médio, os estudantes levam brincadeiras, danças, música e muita alegria aos pacientes, além de crianças nas creches e escolas.
O script é feito na hora, espontaneamente, tendo a alegria como tema central de todas as atividades. “Se a gente é feliz, por que não levar a alegria para outras pessoas?”, pergunta Mayara.
O grupo de teatro Anônimos da Alegria animava os pacientes antes das cirurgias( Foto: Ascom Sesapi)Com agenda cheia, o grupo iniciou os trabalhos há dois meses, após um projeto da escola, cujo tema era “Gentileza gera gentileza”, quando os alunos saíram às ruas levando abraços, rosas e alegria, explica Lorrany.
A equipe é formada ainda por Jonathas, Iris, Thaharliane, Naildo, Lucas, Flávia, Alexandre, Mariele e Bruno.

Reações:

Postar um comentário

 
Top