Comerciantes remarcam preços de forma abusiva e elevam o preço da cesta básica na capital do Piauí.


A cesta básica de agosto em Teresina custou R$ 399,73. Com esse valor, a capital piauiense tem a 18ª cesta básica mais cara entre as 27 cidades pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). 
Comparando com o mês anterior, o custo dos alimentos teve retração de 0,13%, mas a alta acumulada nos oito primeiros meses do ano foi de 16,34%. Veja como se comportaram os 12 itens pesquisados:
Aumento de preços:
- tomate (5,22%)
- leite integral (3,11%)
- café em pó (2,81%)
- arroz agulhinha (2,57%)
- manteiga (2,30%)
- açúcar cristal (1,35%)
Queda nos preços:
- feijão carioca (-6,77%)
- banana (-1,88%)
- óleo de soja (-1,52%)
- carne bovina (-0,31%)
- pão francês (-0,21%)
- farinha de mandioca (-0,18%).
Para pagar a cesta básica, o trabalhador teresinense que ganha um salário mínimo precisou cumprir uma jornada de 99 horas e 56 minutos em agosto, o que equivale a quase 12 dias e meio de trabalho com jornada de 8 horas. No mês de julho, foram necessárias 100 horas e quatro minutos. 
Comparando com o valor de R$ 880, o trabalhador da capital piauiense comprometeu 49,37% de seu salário para adquirir a cesta. Em julho, esse percentual é de 49,44%.



Reações:

Postar um comentário

 
Top