Como alertou o Tribuna de Barras, Manim Rego (de chapéu na foto), não pode ser candidato a nada nas eleições deste ano. A indicação de seu nome pelo prefeito Edílson Sérvulo constitui-se num deboche!


O ex-prefeito de Barras Francisco das Chagas Rêgo Damasceno, o Manim Rêgo, e a Construtora Andrade Júnior e Com. Ltda foram condenados em ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal.
Eles foram acusados de invadir um terreno particular para construir um conjunto habitacional com recursos de convênio firmado com a Caixa Econômica Federal, sem que a indenização acordada anteriormente houvesse sido paga por parte do Município aos representantes.
Segundo o MPF, eles fraudaram um "negócio jurídico" para se apropriar de recursos federais.
O juízo substituto da 3ª Vara Federal apontou prejuízo ao erário e violação dos princípios da administração pública.
Segundo informou o MPF em nota, a Andrade Júnior não pagou o valor de venda registrado em cartório pelo município de Barras. Além disso, houve registro de Loteamento “Morada de Barras” antes que a CEF manifestasse interesse em comprar a área para a construção das moradias do programa federal 'Minha Casa, Minha Vida'.
O contrato foi anulado pela justiça, que ainda condenou os réus ao ressarcimento ao erário, multa civil no valor de R$ 10 mil e suspensão dos direitos políticos.

(*) Fonte: Ministério Público Federal



Reações:

Postar um comentário

 
Top