Francisco de Paula Monteiro (Chico Cardoso) com a esposa Lavínia e filhos na sacada do casarão da família, localizado na Rua 10 de Novembro ao lado do Grupo Escolar Mathias Olympio de Melo


O anel viário de Barras será denominado Francisco de Paula Monteiro, uma homenagem mais que merecida a um homem à frente do seu tempo, visionário, empreendedor, e de coração grande. Um homem que engrandece a história de Barras. A justa homenagem foi indicação do vereador Antonio Leite, amigo pessoal da família e do próprio Chico Cardoso, como era conhecido Francisco de Paula. Foi dele, a primeira empresa de transporte terrestre da região, a Empresa F. Cardoso, mas o plano inicial seria uma empresa de aviões.
A família está marcando uma visita no Rodoanel Francisco de Paula Monteiro onde será feita uma homenagem simbólica e espera contar com a presença do vereador Antonio Leite, pois por um ruído de comunicação, a família não pôde estar presente na solenidade da Câmara de Vereadores.

A homenagem a "Chico Cardoso" é um resgate que se faz valorizando um nome que ajudou a fazer a história de Barras - cidade que costuma renegar os seus filhos que de alguma forma muito fizeram por ela. (Reinaldo Barros Torres, escritor membro da Academia de Letras do Vale do Longá).


Primeiro ônibus da Empresa F. Cardoso

SOBRE O HOMENAGEADO:
Francisco de Paula Monteiro, natural de Luzilândia, chegou a Barras por volta de 1928 com apenas 16 anos de idade, oportunidade em que a convite do Mecânico Cardoso que na época residia nessa cidade o convidou para trabalhar com ele e, no decorrer de pouco tempo, o aprendiz Francisco Monteiro logo aprender os princípios da profissão de mecânico de automóvel. Em seguida, foi trabalhar com outro mecânico proprietário de caminhão de nome Crueiras complementando com o mesmo sua profissão.
Nesta época, já conhecido pela alcunha de Chico de Cardoso ou Francisco Cardoso, nome é este que a partir de então a comunidade local passou a chamá-lo e ele atendia com satisfação, aja visto a gratidão que ele mantinha pela pessoa que lhe proporcionou sua primeira profissão. Na sequência de sua permanência nesta acolhedora cidade, conheceu Lavínia Melo, natural da cidade de Altos, neta da professora Altina Pestana Melo, que muita contribuiu na formação educacional de várias gerações de altoenses.
Com Lavínia, que estava em Barras a passeio, Francisco Cardoso começa a namorar e terminam  casando no dia 5 de Abril de 1938. Tiveram oito filhos. No decorrer de sua convivência, foi motorista proprietário, vereador da Câmara Municipal de Barras na legislatura 1955 1958. Graças às boas amizades que por aí construiu, sentia-se pessoalmente como cidadão barrense e assim o era, face ao acolhimento carinhoso que esta boa terra lhe dispensava. Chico Cardoso Como já era conhecido em meados de ano de 1959 iniciou sua nova atividade profissional ao adquirir um ônibus marca internacional R 160, equipado com carroceria de madeira, tipo de veículo muito utilizado na época no transporte de passageiros. Começou a explorar a linha intermunicipal Barras- José de Freitas- Teresina e daí então foi progredindo adquirindo vários outros tipos de ônibus, já com carroceria metálica até a data do seu falecimento ocorrido em 28 de abril de 2001, momento que já convivia com outra família decorrente de seu segundo casamento.
Desta forma, Francisco de Paula Monteira, o Chico Cardoso, foi o pioneiro do transporte de passageiros entre a cidade de Barras a Teresina via José de Freitas.

(*) Maria Carcará, longah.com

Reações:

Postar um comentário

 
Top