De camisa preta, no centro da foto acima, o professor Mário César posa com alguns dos seus alunos de futsal.

O professor de educação física Mário César Monteiro Cabral, barrense com destacado trabalho de cunho esportivo, educacional e social desenvolvido, sociabilizando crianças e adolescentes e mantendo muitos distantes dos lados nocivos da vida moderna, com trabalho reconhecido e aplaudido além fronteiras de Barras, tendo inclusive sido indicado para ser um dos cidadãos piauienses que levaram a Tocha Olímpica em sua passagem pela cidade de Piripiri, viu hoje mais uma prova de que "santo de casa não obra milagre" ou outra máxima: "que historicamente Barras não valoriza os filhos seus que de fato merecem destaque". 

Mário César programou para acontecer em Barras, no Ginásio Poliesportivo Carlos Augusto Rego Damasceno, de propriedade do Governo do Piauí e administrado pela 2ª Gerência Regional de Educação da Secretaria de Estado da Educação, a Copa Real de Futsal, envolvendo crianças de 9 a 14 anos de idade. A realização do evento foi suspensa com a alegação por parte da 2ª GRE a escolinha de futsal tem fins lucrativos, pois cobra mensalidades do seus alunos. As mensalidades pagas são a única forma que o professor encontrou para comprar bolas, cones, água, garrafinhas para água, remédios, ataduras, tênis para alguns meninos que não têm condições de comprar, além de gastos outros que todo trabalho assim tem.

Alguém que queira patrocinar a escolinha deve manter contato através do telefone (86) 99514--3893.






O professor barrense distribui nota a imprensa com o seguinte teor:

Queria hoje estar falando de incentivos ao esporte BARRENSE, coisa rara nos atuais tempos. Mais uma veze me decepciono com a atitude de algumas pessoas de nossa sociedade, que veem o esporte como um mero instrumento de reunir votos, deixando de lado o ponto alto do esporte que é a formação do cidadão, disciplina, respeito, espirito de luta dentre outras qualidades. Alguns pensadores citam que existem duas ferramentas que podem e devem mudar o mundo, que é: a EDUCAÇÃO e o ESPORTE que até mesmo em tempo de guerra teve o seu esplendor gerando uma trégua mesmo que só durante os jogos mas a fez. 


Há quase dois anos trabalho com crianças de 09 a 14 anos na modalidade futsal e este mês estaria sendo realizada em Barras a COPA REAL DE FUTSAL evento que seria realizado nas dependências do Ginásio Poliesportivo Carlos Augusto Rego Damasceno e fui pego de surpresa, quando fui informado pela responsável do referido prédio ESTADUAL de que não poderia realizar este evento pois minha escolinha tinha fins lucrativos, veja só a explicação; sendo que este ano já teve uma competição onde era cobrada entrada e havia também a venda de bebidas alcoólicas. 



Há quase 30 anos lutando pelo esporte e educação de Barras e este ano fui privilegiado pelo MEC / TRANSFORMA-EDUCAÇÃO RIO 2016 onde vivi um sonho que dividi com todos meus alunos, e quem me conhece sabe da minha luta e amor pelo esporte e principalmente na base, coisa que não acontece aqui em Barras, pois é na base que se molda o homem.

Não será este obstáculo que irá me fazer parar, vou contorná-lo  junto com meus alunos e seus familiares e conseguiremos outro local para treinarmos e realizar nossa competição.

ATENÇÃO FUTUROS GESTORES, olhe como se olhasse para seu filho quando falar de EDUCAÇÃO E ESPORTE, trate – os com sabedoria, expandindo e fazendo chegar as locais mais distante de nosso município e principalmente aqueles que não tem acesso a diversas modalidades com manhã de lazer e circuitos esportivos para todas as faixas etárias, isso se faz com a união de todos. Se você tem uma ideia para a Educação ou Esporte venha dividir com a gente.

Junte-se neste movimento vamos viabilizar e liberar o esporte para todos.



Barras, 12/07/2016

Mário César Monteiro Cabral



Reações:

Postar um comentário

 
Top