No jogo Piauí Esporte Clube 1x2 Associação Atlética Cori-Sabbá, realizado no Estádio Albertão, em Teresina, na noite desta Quarta-feira (22), válido pela segunda rodada do Campeonato Piauiense Sub 19, o árbitro Edimar da Silva Leite (foto ao lado), deu cartão vermelho para o zagueiro Pedro Felipe, do Piauí, após assinalar falta dentro da área do Piauizão. Para a surpresa de todos o apitador não marcou o pênalti a favor do Cori-Sabbá! Lambança total e gargalhadas do público presente no Estádio Albertão. Aliás, foi de muita lambança a atuação do árbitro Edimar da Silva Leite, prejudicando aos dois times. 

Edimar da Silva Leite teve como auxiliares: Márcio Iglesias de Araújo Silva e Izaura de Sousa e Silva. Quase no final do segundo tempo, quando o jogo estava empatado em 1x1, embora estivesse bem colocado no lance, o árbitro deu um pênalti a favor do Cori-Sabbá quando a falta visivelmente foi feita fora da área, com imagens veiculadas pelas televisões e postadas na Internet. 

Uma das coisas que a FFP deve rever para as próximas edições das suas competições de base é a ação dos árbitros, sempre muito questionadas.
Competição relâmpago e com regulamento forçado pela FFP:

A Federação de Futebol do Piauí jamais deve voltar a fazer uma competição como o atual Campeonato Piauiense Sub 19: os clubes fazem 2 jogos na fase inicial, depois já vem a semifinal e a final! Prejuízo total para quem se atreve a disputar a competição, a não ser que seja campeão ou vice e conquiste vagas para a Copa São Paulo, maior objetivo da competição. E os custos cobrados pela FFP? Cada clube paga a Federação de Futebol do Piauí R$ 2.500,00 pela inscrição, R$ 40,00 pela inscrição de cada atleta (cada clube pode inscrever 32), R$ 15,00 pela liberação do alvará de cada atleta (uma carteirinha a ser apresentada ao delegado da partida antes do início de cada jogo).

Agremiações como River Atlético Clube, Esporte Clube Flamengo e Piauí Esporte Clube, como tem folha de pagamento e ainda transferência de jogadores de outros estados (R$ 700,00 por cada jogador), alojamento com alimentação, dentre outras despesas, terminam gastando algo em torno de R$ 10.000,00 para atuarem numa competição onde quem for campeão fará apenas 4 jogos.

Clubes como Parnahyba, Ferroviário e Cori-Sabbá, que são de cidades do interior do Estado, pagam ainda o transporte para deslocamento até Teresina, onde são realizados todos os jogos, além de hospedagem, almoço e janta na Capital para todos os jogadores e comissão técnica.
Reações:

Postar um comentário

 
Top