Segundo dados do Planalto, Dilma gastou, de janeiro a maio, cerca de R$ 280 mil em seu cartão de suprimento para despesas com alimentação, média de R$ 62 mil mensais.

Muito pão de queijo De 13 a 31 de maio — os 18 primeiros dias de afastamento — o gasto bateu R$ 54 mil. O Planalto diz que o cartão foi reabastecido e Dilma já pode fazer compras para o Alvorada.
A assessoria da petista diz que tomará medidas para apurar o vazamento de informações sigilosas “sobre a segurança” do palácio.

(*) Uol

Reações:

Postar um comentário

  1. Isso não é "segurança" do palácio - é sim, 'segurança de barriga'! Com uma ajuda dessas, alguém que passa dificuldades financeiras, ao se deparar com prateleiras em Supermercados acredita que a Presidente 'afastada' tabelaria os Preços de Produtos Alimentícios em algum momento do seu Governo? Esta é a hora dela fazer uma ótima experiência: tentar alimentar-se e alimentar sua família e seus visitantes no Palácio da Alvorada com apenas um Salário Mínimo... e olha que não terá de desembolsar dinheiro para Transporte, Saúde (Hospital, Médicos e Remédios), Energia, Água, Secretários Domésticos, Segurança, IPTU, IPVA, Telefonia, Educação de Filhos e mil coisas mais de nossa rotina. Não digo que uma Presidente fique impedida de receber bem seus Convidados e nem de ter Qualidade Alimentícia e Conforto Ambiental no seu cotidiano, mas, sou totalmente a favor de que vivencie as situações que a grande maioria dos brasileiros sofre, a fim de "sentir na pele" o que significa passar privações. Sim, porque não adianta o Governo Federal conceder Bolsas Sociais, mas, 'virar as costas' para o desregramento de preços desde a origem do produto ao seu mercado consumidor, fazendo "vista grossa" como se nada estivesse acontecendo - isto significa, no mínimo, uma imoralidade. Há muito tempo, quando se discutia o que era ou não supérfluo, indagaram ao Chico Anísio durante uma reportagem de TV, o que ele considerava "supérfluo". Chico de imediato respondeu mais ou menos assim: "Supérfluo é tudo de bom e gostoso que existe à mesa do Rico e que o Pobre não possui à sua disposição para COMER", porque não tem poder aquisitivo para COMPRAR! Só que nesse caso, o mesmo Pobre que não compra os Produtos Caros e de Qualidade para Si, os banca, ironicamente, aos Parlamentares e às Autoridades Constituídas que Residem nos Palácios de Fachadas e Ambientes Suntuosos, mas sofre de privações que se não o levam à inanição, acarretam-lhe no mínimo, Subnutrição que pode desencadear Anemias e outras inúmeras patologias - sem sequer falar nas trágicas consequências de ver um Filho seu choramingar pedindo algo que possa aliviar a sua fome ou mesmo passar a noite sonhando que está caindo no abismo de um profundo poço! QUE DEUS TENHA MISERICÓRDIA DE NÓS - ricos de espírito e pobres de dinheiro!

    ResponderExcluir

 
Top