O senador Elmano Férrer ladeado pelo jornalista Reinaldo Barros Torres (editor do Tribuna de Barras, pré-candidato a vereador de Teresina pelo PHS) e João Filho (pre-candidato a vereador de Teresina), em sítio nos arredores da capital piauiense.

O senador Elmano Férrer (PTB) não revelou o seu voto sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff e disse apenas que atuará como “juiz” se o processo chegar no Senado Federal. Ao participar de solenidade no Tribunal de Contas do Piauí nesta Sexta-feira (15) ele disse que é um senador independente e que seu voto será “aberto, transparente, consciente e que vai traduzir a vontade do povo”.
Ele contou que o PTB reafirmou ontem a recondução do ex-deputado Roberto Jefferson à presidência do partido e lembrou que a sigla aprovou posição a favor do impeachment. 
Elmano considera muito grave a posição de afastar a presidência da república, afirmando que “quando o processo chegar no Senado, eu vou ser um juiz e não posso antecipar voto”.
Ele informou que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), garantiu em reunião com senadores, que não vai haver lentidão no julgamento caso o processo chegue na Casa.
Fábio Abreu
O senador garantiu que o deputado federal Fábio Abreu (PTB) não será punido por sua posição contra o impeachment, anunciado ontem pela legenda, que o partido orientou que os parlamentares votem a favor, mas compreendendo a conjuntura política dos Estados, respeitando a decisão de cada um.
O senador disse ainda que dos 19 parlamentares do partido, 15 são a favor do afastamento e 4 estão indecisos
(*) Lyza Freitas
Reações:

Postar um comentário

 
Top