No Governo Mão Santa (PMDB) o Piauí deixou de ser o estado mais pobre do Brasil, passando a lanterna para o Maranhão e assumindo a anti-penúltima colocação, ficando Alagoas na penúltima. No atual governo, de Wellington Dias (PT) nosso Estado volta a ser o mais miserável do País!

O Brasil registrou na média uma pequena alta na desigualdade ao fim de 2015, mostram cálculos do Bradesco.
O índice de Gini brasileiro do rendimento do trabalho passou de 0,498 no quarto trimestre de 2014 para 0,499 no quarto trimestre de 2015 –quanto mais próximo de zero, mais igualitária é a distribuição da renda.
Pelos cálculos do banco, a desigualdade cresceu em 12 das 27 unidades da Federação no quatro trimestre do ano passado ante o mesmo período do ano anterior.
Apenas na região Sul do país o indicador que mede a distribuição de renda não piorou em nenhum Estado.
Pelos dados do banco, o índice de Gini aumentou em 4 dos 7 Estados do Norte, com destaque para o Amazonas (0,515) e o Acre (0,473), que tiveram piora de 4% e 3% no indicador, respectivamente.
Também houve aumento da desigualdade em cinco Estados do Nordeste, especialmente no Rio Grande do Norte (de 0,476 para 0,515) e no Maranhão (de 0,490 para 0,512). O Piauí continua o mais desigual de todo o país, com um índice de 0,573.
O Piauí foi o estado com maior desigualdade, e aumentou. O índice passou de 0,55 no 4º trimestre de 2014 para 0,57 no mesmo período de 2015.
Reações:

Postar um comentário

 
Top