A água potável caindo das torneiras é necessária, especialmente se ela é bem tratada como deveria ser, se não faltasse tanto nas torneiras como acontece em Barras, e se a conta que chega todo mês para o consumidor pagar não fosse tão cara.

A AGESPISA - Águas e Esgotos do Piauí S/A, tem um trabalho de qualidade muito ruim no fornecimento de água em Barras, a população já tem feito inclusive protestos nas ruas pedindo providências do Governo do Estado para que o consumidores possam ter água todos os dias em suas residências. No auge dos protestos a AGESPISA e o Governo do Estado distribuíram mais umas das suas notícias mentirosas plantada na imprensa paga: "Barras terá uma nova ETA - Estação de Tratamento D'água, e todos os problemas com abastecimento serão resolvidos". Essa promessa já irá comemorar aniversário de um ano!

Além da queda o coice! Não é só a falta de d'água que atormenta os barrenses. A AGESPISA tem destruído nos últimos 10 anos todo o calçamento do centro histórico da cidade e de vários bairros. Com ruas cheias de buracos o calçamento da Terra dos Poetas não é mais um dos seus orgulhos. A AGESPISA costuma contratar empreiteiras para restaurar os buracos feitos, mas o trabalho de péssima qualidade realizado por estas, tem tornando as ruas parecidas com "tábulas de pirulito".

Ano passado na cidade de Água Branca, distante 210 Km ao sul de Barras, a AGESPISA começou um trabalho de destruição do calçamento das ruas, mas o Secretário de Obras e Serviços Públicos do Município, Valmir Tavares de Sales, tomou as dores para si e bateu de frente com as empreiteiras da AGESPISA. Em cada buraco furado Valmir Sales estava do lado exigindo que os empregados da empreiteira fizessem o serviço direito. Não deu outro resultado: o trabalho executado em Água Branca foi dos melhores.

Em Barras não tem mais jeito. Ou se arranca todas as pedras refazendo o calçamento das ruas em 100% ou se passa o asfalto de vez.



(*) Fotos: José de Jesus Ananias Costa

Reações:

Postar um comentário

 
Top