Especialistas reiteram que o ensino em tempo integral é o regime mais eficaz para aumentar os índices educacionais de uma região. Desta forma, a Secretaria de Estado da Educação inicia 2016 cumprindo a meta prevista no Plano Estadual da Educação (PEE), com a implantação imediata de duas escolas de tempo integral e mais quatro até o final do ano.

“Essa é a principal bandeira não apenas do Piauí, mas do País. A meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE) determina que devemos ter, em 10 anos, o mínimo de 50% das escolas da nossa rede em tempo integral. Essa é, comprovadamente, a melhor forma de melhorarmos a qualidade do ensino aos nossos alunos”, destacou a deputada federal e Secretária de Estado da Educação, Rejane Dias (PT), esposa do governador Wellington Dias (PT)

Com as novas escolas, hoje o Piauí possui 44 unidades em tempo integral e deve chegar a 48 até o fim do ano. A diretora da Unidade de Gestão e Inspeção da Seduc, Ana Rejane Barros, declara que todas as escolas irão passar por adaptações para receber melhor os alunos. “Elas precisam ampliar banheiros, refeitórios e construir laboratórios, por exemplo. Os recursos serão do Banco Mundial”, comenta.
As duas mais novas escolas de tempo integral são a Fenelon Castelo Branco, em União (cidade do ex-prefeito José Barros, do PT), e a Cônego Cardoso, em Castelo do Piauí. As outras quatro escolas serão instaladas nas cidades de Teresina, Esperantina (governada pelo PT), Pedro II (governada pelo PT) e na região de Fronteiras (cidade não definida). A coincidência é que os municípios beneficiados com as escolas ou são administrados por prefeitos do PT (partido do Governador) ou o PT tem interesse em conquistar ou reconquistar a prefeitura, como é o caso de União.
 “Em 2017, temos a previsão de mais seis escolas de tempo integral também com recursos do Banco Mundial. Em seguida, devemos ampliar o número de escolas instaladas a cada ano”, finaliza Ana Rejane.

Reações:

Postar um comentário

 
Top