Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Piauí revela que entre 1º de Janeiro a 03 de Fevereiro deste ano, 111 pessoas foram presas e encaminhadas à Central de Flagrantes de Teresina. Mais da metade delas (63) tem antecedentes criminais, e o mais preocupante é que há presos respondendo a mais de 10 processos, mas isso não os impede de voltar à liberdade. Um dos presos deste período tem 33 processos na sua ficha criminal. 
A Revista Cidade Verde desta quinzena, Edição 131, questiona o problema: Por que os criminosos estão soltos? Na edição anterior, o comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto, declarou que chega a prender até oito vezes a mesma pessoa, que por "brechas na lei" acaba voltando para a rua e praticando novos delitos. 
Outro dado alarmante, que demonstra a morosidade da Justiça no julgamento dos processos, é que a Delegacia de Homicídios foi inaugurada em janeiro de 2013 e tem resolutividade de 70% dos casos, mas até hoje, nenhum dos casos desvendados levou os suspeitos ao banco dos réus. Isso porque, em casos de crimes dolosos, como assassinatos, a média nacional de tempo para finalizar o julgamento é sete a 10 anos.  
Em Fevereiro, o Tribunal de Justiça do Piauí tem 14.099 processos criminais ainda em tramitação. A maioria é de homicídio.

Vista parcial de Teresina. Foto: Juscel Reis

(*) Texto de Jordana Cury, Cidade Verde
Reações:

Postar um comentário

 
Top