A Prefeitura de Boa Hora, cidade da Região da Grande Barras, estaria devendo aos vigias, zeladores, secretários de escolas e professores da rede municipal de ensino o total de 4 meses de salários.
O Sindicato dos Trabalhadores vai realizar uma assembleia no próximo Sábado, dia 16 de Janeiro, às 9 horas, na Câmara de Vereadores, para discutir o assunto.
A categoria também exige do prefeito José Resende (PT), o reajuste salarial aprovado desde Janeiro de 2015 e o novo reajuste de 2016.
Os servidores reclamam que até agora o prefeito não informou quando vai ser o pagamento do mês de Dezembro de 2012, Dezembro de 2014 e Novembro e Dezembro de 2015.
O encontro deve ter a presença de representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do advogado do sindicato.

A versão do prefeito José Resende sobre o atraso dos salários


O prefeito Zé Resende abriu as portas de seu gabinete e explicou pacientemente acerca desse assunto, que virou notícia na mídia estadual.
O prefeito explica, que tudo não está passando de um mal entendido, que segundo ele, é usado como trampolim político para oposição, que não aceita as conquistas que ele está levando para a cidade. "Existe o atraso do mês de Novembro e Dezembro de 2015, mas mesmo com as dificuldades, já conseguimos pagar o 13º salário. Eu não assumi a prefeitura de Boa Hora para fugir dos problemas, e sim para enfrentá-los", iniciou o prefeito.
Zé Resende explicou que o atraso se deve pelo fato nas quedas consideráveis do FUNDEB, onde a despesa do município é bem maior que a receita, o que acaba por gerar esse problema. O déficit hoje, chega quase a 600 mil reais. Segundo o prefeito, a cidade possui 171 professores efetivos, sendo 82 com carga horária de 40 horas, o que acaba onerando a folha. No mês de outubro de 2015, o prefeito convocou a classe e expôs as receitas e despesas do município.
O prefeito pede a compreensão dos funcionários, ao tempo em que destaca algumas ações que tem implementado na educação, como os programas projovem do campo, penaic, mais educação, mais cultura e Brasil alfabetizado, além de estar construindo uma escola modelo na Faveira. "Até a televisão já chamaram para tentar me desmoralizar. Mas eu já disse que problema não se foge, se enfrenta. A situação é essa. Com planejamento, já melhoramos muita coisa. Recebemos o município com 01 ônibus, hoje temos 07, faltava carteira escolar para os alunos. Na Nossa gestão, compramos 942 novas carteiras. Isso sim, deveria ser mostrado. Mas eu tenho Deus e o povo comigo, e as adversidades haverão de serem vencidas", Finalizou o prefeito.
(*) Com informações do Campo Maior em Foco
Reações:

Postar um comentário

 
Top