A reaproximação de Manim Rêgo, com o grupo político de Edilson Sérvulo, parece consumada.

O primeiro ato nesse sentindo, assinado pelo prefeito vem através da Portaria 688, de 02 de Dezembro de 2015, nomeando a esposa do vereador Mauricio (filho de Manim Rego), Dynnara Siqueira e Silva, para ocupar o cargo de Secretaria Municipal de Habitação.

Segundo informações, neste leilão, muitos outros cargos serão disponibilizados para o ex-prefeito Manim Rêgo nomear quem quiser, e é claro que pelo visto, os herdeiros de José Cabelouro serão maioria já que os irmãos e parte da Família Rêgo encontram-se indignados com à posição tomada pelo político.

Com certeza, Manim Rêgo não está à vontade, pois não se trata de uma posição ideológica, já que tem afirmado por onde anda que o Capote não serve para continuar no comando administrativo do município.

O Pacote do “Fica Manim”, é marcado pelo fisiologismo revelado neste ato de nomeação de sua nora e mostra o quanto o ex-gestor está preocupado com o Povo que sempre esteve ao seu lado.

Manim Rêgo sai da posição de general para a de um soldado raso, com a gravidade de ser odiado por alguns familiares e assessores próximos de Edílson Sérvulo.

Barras perde em parte um líder, e ganha mais um fiel de balança condenado ao ostracismo, assim como aconteceu com seu mentor político e sogro José Cabelouro.

Quem viver verá, mas esta incoerência nos remete a uma crônica da Morte Anunciada, onde mais um caudilho familiar entrará para a história como um homem fraco, sem qualquer ideologia, apegado cegamente ao Poder imediático e às tetas da Prefeitura.


Manim Rêgo parece estar cavando sua própria cova na política barrense. Um dia critica,depois sai de braços dados com quem criticou... Assim cai no descrédito popular.

(*) Texto extraído do site Barras on Line

Reações:

Postar um comentário

 
Top