Como muitos eleitores barrenses o delegado de polícia Sérgio Rego não ver com bons olhos a união do prefeito Edílson Sérvulo e do ex-prefeito Manim Rego visando as eleições municipais de 2016.

Manim Rêgo é um político oportunista, todos sabem. Jamais estaria do lado de Edílson Sérvulo se não ganhasse alguma coisa por essa decisão. Isso tem incomodado os eleitores mais politizados, mas a decisão é festejada pela maioria, que é inculta e que vota na base do "pão e circo" ou de interesses próprios. Para uma cidade que já viu juntos e de mãos dadas Joaquim Lucas Furtado/Manim Rego/José Cabelouro e que aprovou essa união, não seria surpresa também aplaudir a união de Jesus Cristo e Satanás! Ainda bem que essa segunda opção é impossível.

O delegado de polícia Sérgio Luiz Rego Damasceno, ex-vice-prefeito de Barras e irmão de Manim Rego tem sido severo em críticas a administração de Edílson Sérvulo, chegou inclusive a criar até um site onde bate sem dó na administração do prefeito e até na família do mesmo.

Manim Rego não pode ser candidato, pois ainda é considerado pela Justiça como "ficha suja", mesmo assim havia alardeado aos quatro cantos que seria candidato  a prefeito em 2016. Na semana passada Manim Rego mudou de estratégia e anunciou que agora seria o candidato a vice-prefeito na chapa de reeleição do prefeito Edílson Sérvulo, mas é impedido pela Justiça; não pode a nenhum cargo eletivo. Segundo os analistas políticos das esquinas das Barras do Marathaoan, Manim Rego, sabido como é, quer apenas manter seu nome em evidência para não cair no esquecimento, daí participa de todas as convenções mesmo que não seja convidado, está sempre em todas as festas, em todos os velórios, mas a verdade é cruel: ele  ainda está inelegível, não pode candidatar-se em 2016.

A decisão de Manim Rego, mesmo sem ser legal perante a Lei,  dividiu sua família e muitos dos seus eleitores, que não tem simpatia a Edílson Sérvulo. Entre os insatisfeitos está Sérgio Rego, que anunciou no último final de semana que irá se submeter ao veredito popular visando ser o mandatário do Palácio Casa Rosada. O delegado cita como "uma imoralidade" a união do seu irmão Manim Rego com o prefeito Edílson Sérvulo e diz ainda que tem munição o suficiente para que Edilson Sérvulo fique até inelegível.


Delegado Sérgio Rego

Reações:

Postar um comentário

 
Top