O Estudo Demografia Médica do Brasil 2015 revelou de forma mais transparente a falta de médicos para atender pacientes no interior do Piauí. De acordo com os dados, o Estado é o que tem a menor concentração desses profissionais, sem considerar a Capital.
Em todo o Piauí existem 3.737 profissionais registrados no Conselho Regional de Medicina, mas 3.714 estão concentrados na Capital. A média, em Teresina, é de 4,44 médicos para cada mil habitantes. A realidade é totalmente oposta à do interior, onde existe apenas um médico para 100 mil habitantes. 
Acusando baixo salário e falta de estrutura em hospitais e nas próprias cidades, médicos recusam trabalhar em cidades do interior do Piauí
O estudo revelou ainda a falta de profissionais especialistas. Somente 50,5% dos médicos têm alguma especialidade. E a maioria se dedica à cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, clínica médica ou pediatria. As áreas de genética médica, medicina esportiva e medicina física e reabilitação têm apenas um médico para cada uma dessas especialidades.
A concentração também se verifica em âmbito nacional entre os médicos do setor privado e do SUS. A conclusão da pesquisa é que 73,1% dos profissionais no Brasil atuam na rede pública, que cobre 150 milhões de pessoas. Já na rede privada, que conta com 78,4% da força de trabalho, a clientela é bem menor, de 50 milhões de pessoas. Esse dado significa que o paciente do SUS tem três vezes mais dificuldades para conseguir uma consulta médica do que na rede privada.
Imagem noturna da cidade de Barras 

(*) Com informações de Nayara Felizardo, O Dia
Reações:

Postar um comentário

 
Top