Botafogo Futebol Clube, de Ribeirão Preto-SP,  entrou em campo precisando apenas de um empate, enquanto o River Atlético Clube, de Teresina,  precisava marcar pelo menos um gol para se sagrar campeão. Foi o Estádio Albertão, na bela e moderna capital piauiense, o pano de fundo para a consagração do título de Campeão da Série D. Com mais de 40 mil pessoas no estádio o Botafogo jogou com o regulamento embaixo do braço durante quase toda a partida e o ataque do Galo parou no goleiro Neneca e em seus companheiros de defesa. 

Com poucas chances no primeiro tempo, a segunda etapa foi na qual o jogo pegou fogo. César Gaúcho, do Botafogo, foi expulso logo aos 9 minutos da etapa final e complicou muito a vida do Pantera, que passou quase toda a segunda etapa na defesa.

Era uma decisão e os jogadores sentiram o peso dela no comecinho. A partida começou presa, com bastante tensão. As equipes demoraram para começar a chegar com a bola rolando e abusavam de faltas e escanteio para ameaçar tentar algo. Sem nenhuma chance clara de gol, era o Botafogo que levava vantagem na marcação, esfriando a partida sempre que podia.
O River não conseguiu bater o bloqueio botafoguense por um bom tempo, mas tinha mais volume de jogo e usou isso para conseguir a primeira chegada com perigo da partida. Aos 29 minutos, sem conseguir invadir a área, Toty arriscou de muito longe e levou perigo ao goleiro do Fogão, mas a bola passou por cima da meta.
O Pantera chegou muito perto de finalizar com chances reais de gol aos 35 minutos. Vitinho chegaria com perigo, mas Thiago Dias tomou a bola dos pés do adversário e afastou. Dois minutos depois, o Botafogo chegou com Vitinho, que cruzou fechado e, com o goleiro do River já batido no lance, o zagueiro Rafael Araújo mandou para escanteio.
A primeira chegada de muitas que o River faria na segunda etapa foi aos 4 minutos, Fabinho colocou na frente e arriscou de muito longe com o pé esquerdo, a bola pegou bastante força e o goleiro Neneca caiu para fazer a defesa. Aos 6, Neneca vacilou e soltou uma bola que já tava ganha e deu um escanteio para o River. Na cobrança Toty jogou pra área e o zagueiro Rafael Araújo desviou mandando pra fora.
O grande problema do Botafogo no jogo veio aos 9 minutos, quando César Gaúcho foi expulso ao bloquear passagem de Júnior Xuxa. O jogador recebeu o segundo amarelo e foi para o chuveiro mais cedo. A expulsão abriu espaço para o domínio do River e a partir daí o Botafogo foi obrigado a se segurar na defesa.
Aos 13 o Botafogo até chegou com o Canela, que recebeu sozinho dentro da pequena área, mas o domínio continuou sendo do Galo Carijó. Aos 20, Célio Codó desviou de cabeça um cruzamento fechado e quase fez. A bola passou pertinho da trave.
Aos 34 minutos o goleiro Neneca do Botafogo fez a defesa da partida. Eduardo conseguiu dominar e ajeitar a bola quase dentro da pequena área, mas a finalização parou nas pernas do arqueiro do Pantera, mantendo o placar zerado. Um minuto depois Neneca saiu errado e Rafael Araújo chutou firme, mas a bola foi por cima.
Na reta final o River foi com quatro atacantes em busca do gol. Edu, Fabinho, Célio Codó e Robinho fizeram a linha de ataque do clube. Aos 46, Eduardo pegou sobra de Neneca, mas tocou pra fora.
Ambas as equipes conseguiram o acesso para a Série C no ano que vem. Além dos finalistas, Ypiranga-RS e Remo-PA também garantiram o acesso para a Série C em 2016.
Reações:

Postar um comentário

 
Top