A Polícia Civil do Piauí criou um aplicativo para celulares, que tem como objetivo auxiliar vítimas de 'vingança pornô' na exclusão dos conteúdos íntimos postados na internet. Intitulado de 'GRP contra a vingança pornô', o app está disponível somente para o sistema android.
Desenvolvido pelo delegado Alessandro Barreto, junto com o escrivão Venceslau Felipe e o agente de polícia Marden Lincoln, o aplicativo contém dicas de prevenção e as formas de denunciar e excluir o conteúdo.
“O principal objetivo é auxiliar as vítimas das vinganças pornôs a excluir esse conteúdo, sem a necessidade de recorrer a um profissional da tecnologia”, disse o delegado Alessandro Barreto do Núcleo de Inteligência da Polícia Civil do Piauí.
De acordo com o delegado a ideia do aplicativo surgiu após observar o desespero das vítimas quando procuravam a polícia. “Muitas das vítimas dessas vinganças, em sua maioria mulheres, não sabem como proceder mediante esta situação. E percebemos que o que elas mais querem é ver esses conteúdos excluídos, para por um fim nesse apedrejamento virtual”, lembrou o delegado.
As vítimas podem também encontrar no aplicativo informações das principais delegacias de polícia do País, onde podem prestar queixa e como agir diretamente em contato com os grandes sites e evitar a divulgação das imagens. “As principais redes  sociais têm ferramentas que possibilitam a exclusão desse tipo de conteúdo", explicou.
Segundo o delegado Alessandro Barreto, a maioria dessas vinganças são feitas por ex-casos amorosos das vítimas. “Temos que lembrar que o mais importante é não se deixar filmar e se isso acontecer, tente manter esse conteúdo o máximo possível privado. O delito por postar esses conteúdos não existe, o culpado na sua maioria responde por crimes contra a honra como injuria e difamação”, ressaltou.

Reações:
 
Top