Fazer uma tatuagem na verdade é um perigo camuflado de modismo e até de beleza e a pessoa corre riscos graves. Em um estudo recente, os investigadores determinaram que o risco de hepatite C está diretamente relacionado com o número de tatuagens que a pessoa tem, de acordo com uma análise de 124 estudos de 30 países. Alguns estudiosos citam que diminui a capacidade imunológica.
Pessoas com várias tatuagens ou tatuagens que cobrem grandes partes de seus corpos estão em maior risco de contrair hepatite C, bem como outras doenças veiculadas pelo sangue, inclusive leucemia.
Doenças infecciosas, doenças de pele e alergias são apenas algumas das preocupações que devem ser abordadas a fim de proporcionar a experiência mais segura possível. Pessoas que se relacionarem sexualmente com outras que sejam tatuadas também correm risco de contraírem doenças.
Outros grandes riscos da tatuagem incluem contrair HIV, hepatite B e infecções bacterianas ou fúngicas. A maioria dos bancos de sangue pede que as pessoas esperem 12 meses após fazer uma tatuagem antes de doar sangue.
De acordo com institutos de saúde, casos de Staphylococcus aureus estão em ascensão entre pessoas tatuadas. Isto é particularmente preocupante porque as cepas dessas bactérias são altamente resistentes à penicilina e muitos antibióticos.
Os produtos químicos na tinta da tatuagem são outra causa de preocupação. Algumas pessoas podem ter reações alérgicas à tinta, como dermatite (irritação grave na pele). Os pigmentos utilizados em tintas de tatuagem são de nível industrial e, segundo estudos, são adequados para tinta de impressão ou pintura de automóveis.
Nem todas as tintas de tatuagem são aprovadas por órgãos de saúde, incluindo aquelas, cada vez mais utilizadas, que brilham no escuro – os riscos que elas causam ainda não são conhecidos. Toxinas em algumas tintas para tatuagens podem entrar nos rins, pulmões ou linfonodos através do sistema circulatório.
Pessoas com condições de pele como eczema, ou que são propensas a ter quelóides (um crescimento excessivo de tecido cicatricial na área da ferida) devem reconsiderar fazer uma tatuagem, pois podem experimentar surtos ou deformidades na pele.
Para reduzir o risco da disseminação de patogenias veiculadas pelo sangue e por bactérias, os tatuadores devem utilizar sempre equipamentos esterilizados, agulhas novas, luvas e máscaras descartáveis, e devem abrir recipientes de tinta não utilizados para cada tatuagem – nenhum destes equipamentos deve ser re-utilizado ou compartilhado, em nenhuma circunstância.
Porém, os tatuadores são regulados por autoridades estaduais e locais, então a limpeza e a segurança das lojas de tatuagem variam. Os especialistas aconselham os clientes a visitarem as lojas antes de fazer uma tatuagem, e fazer perguntas aos tatuadores quanto à esterilização e a segurança dos equipamentos.
Certificados de segurança ou inspeções de saúde publicados em paredes de estúdios de tatuagem podem ser falsificados. Os especialistas afirmam que é melhor procurar por recomendações de pessoas que atestem a limpeza e qualidade de uma loja, bem como outras referências.
Você também pode procurar as leis do município ou local e pedir recomendações sobre lojas licenciadas de tatuagem, bem como verificar se há queixas sobre um estúdio particular.
E outro cuidado que não pode ser esquecido jamais: nos primeiros dias, a tatuagem é uma ferida aberta que precisa ser adequadamente tratada. A maioria das lojas explica o pós-tratamento com instruções sobre como limpar e tratar uma nova tatuagem, e isso é muito importante.
Para diminuir ainda mais o risco de infecções e doenças, as pessoas devem tomar certas precauções, como aplicar uma pomada antibiótica na área, ficar longe de piscinas ou banheiras de água quente, e evitar tocar ou pegar em qualquer crosta que se forme na área tatuada.
Fonte: Hype Science
Reações:
 
Top