O Secretário Municipal de Educação, Cláudio César dos Santos e Silva, reuniu-se com professores e demais servidores da educação para informá-los que o impasse da não aprovação da suplementação orçamentária por parte da Câmara Municipal está causando a impossibilidade do pagamento da folha dos funcionários da educação, como também de fornecedores.

O prefeito Edílson Sérvulo gastou em 2015 até o momento mais do que o que podia, daí solicitou uma suplementação orçamentária ao Legislativo, que não aprovou por considerar os gastos excessivos do Executivo e quantidade de obras inacabadas ou com dinheiro para a conclusão mas nunca terem sido feitas, como a anunciada Orla do Rio Marathaoan.

A Prefeitura de Barras vive um caos financeiro antes nunca visto.


Palácio Casa Rosada, sede da Prefeitura de Barras

Reações:

Postar um comentário

 
Top