A AGESPISA - Águas e Esgotos do Piauí S/A, concessionária do Governo do Estado na área de prestação de serviços de água potável, informou ao Tribuna de Barras que a intermitência no abastecimento dos residenciais Morada de Barras e São Francisco, ocorre porque a Estação de Tratamento de Água em Barras não atende mais a demanda da cidade. Como os dois residenciais estão localizados numa região muito distante da ETA, o fornecimento de água fica ainda mais prejudicado.
Barras cresceu muito e a demanda atual é para uma cidade de cerca de 20 mil habitantes e a Terra dos Governadores já beira os 50 mil. O caso é parecido com o que estava acontecendo com a falta de energia, atualmente resolvido devido ao suporte dado a subestação da Eletrobras em nossa cidade e a construção de uma linha em 69kV ligando Barras a Campo Maior.
A AGESPISA informou que está em busca de recursos para melhorar o abastecimento de Barras. Atualmente, a Estação de Tratamento da cidade produz 44 litros por segundo. Não há previsão de quando a ETA de Barras receberá suporte para regularização do problema, que passa também por situações políticas, já que os políticos barrenses são muitos fracos, sem prestígio e sem poder de pressão junto ao Governo do Estado. Os representantes barrenses na Assembléia Legislativa e Câmara Federal só aparecem em nosso Município em período de eleição e se juntam aos "chefes" políticos, fazem os acordo$ financeiro$ e vão embora...
Prédio da AGESPISA em Barras
Reações:
 
Top