O imortal Dílson Lages Monteiro sendo entrevistado por rede de televisão em Teresina


O escritor, contista, romancista, cronista, poeta, historiador, professor de literata e língua portuguesa, Dilson Lages Monteiro, natural de Barras, foi eleito neste Sábado (4) para a vaga da Cadeira Número 21 da Academia Piauiense de Letras. O novo imortal da APL obteve 26, do total de 34 votos. Ao todo, 39 acadêmicos poderiam votar. Ele ocupa a vaga deixada pelo poeta Hardi Filho, que faleceu no fim de maio deste ano. Dílson Lages Monteiro é também imortal da Academia de Letras do Vale do Longá.

O processo de eleição começou às 8h. Alguns acadêmicos que moram fora de Teresina enviaram seus votos pelos Correios. Os demais, que aqui residem, compareceram pessoalmente para depositar o voto na urna. A apuração foi iniciada às 11h, com a contagem total dos votos. 



Em seguida, o presidente da Comissão Eleitoral, desembargador Nildomar da Silveira, com o resultado na mão, repassou ao presidente da APL, Nelson Nery Costa, para que proclamasse o resultado. Só então, através de telefonema, Dilson Lages Monteiro foi avisado que havia sido o escolhido e foi até a sede da academia receber os cumprimentos.

"Não poderia deixar de expressar o que vai na alma e no coração. A primeira vez que eu estive nessa Casa eu era adolescente, movido principalmente pelo imaginário da cidade aonde eu nasci e pela figura sempre generosa do professor A. Tito Filho. Visitei diversas vezes a biblioteca desta casa", disse na presença dos imortais.

Dilson Lages Monteiro é professor, poeta, ficcionista, editor e produtor cultural, nascido a 14 de Dezembro de 1973, em Barras. Já possui 12 obras publicadas, entre elas estão "Mais hum", "Cabeceiras – a marcha das mudanças", "Colmeia de concreto", "O sabor dos sentidos", "Adiante dos olhos suspensos" e "O rato da roupa de ouro". É professor licenciado em Letras pela Universidade Estadual do Piauí, com especializações em Língua Portuguesa (PUC-SP) e em Revisão de Textos (PUC-MG), exerce o magistério no Ensino Médio desde 1992, atua como professor de literatura e de leitura e produção de textos na rede particular de ensino desde 1992. Tem ainda sua própria escola, o Curso de Redação Professor Dílson Lages, que funciona na zona leste de Teresina há mais de 20 anos.







Reações:
 
Top