River Atlético Clube e Parnahyba Sport Club decidirão o primeiro turno do Campeonato Piauiense 2015, Taça Estado do Piauí, no próximo Domingo, 26 de Abril às 17 horas, no Estádio Albertão, em Teresina.

Historicamente o encontro entre o clube de Teresina e o da cidade de Parnaíba tem gerado muita briga entre os torcedores e até morte já ocorreu: um torcedor do Parnahyba com problemas cardíacos morreu nas calçadas do Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina, após ameaças de "ataque" de torcida organizada do River. Os torcedores do Parnahyba terminaram voltando para o litoral piauiense com uma urna funenária e um corpo dentro, no corredor do ônibus que os conduziu a Teresina! Na ocasião ninguém foi preso e ninguém respondeu pelos delitos cometidos pela torcida riverina, que tem muita gente boa no seu meio, mas também muitos usuários de drogas que vão para os estádios já drogados ou parcialmente drogados. Antes dos jogos, muitos torcedores uniformizados com camiseta de torcida organizada costumam ficar em bando fumando maconha na Praça Da Costa e Silva, centro de Teresina, próximo ao prédio da Eletrobras. Em algumas vezes empregados da Eletrobras já chegaram a telefonar para a polícia.

Em algumas postagens no Facebook torcedores do Parnahyba ameaçam usar "balas" contra os torcedores do River.

Torcedores que usam táticas de guerrilhas tem que ser banidos dos estádios, pois não vão para torcer prá seu time favorito, mas prontos para uma "guerra".

Ressaltamos com louvor o trabalho do Danilo, presidente da Esporão do Galo, principal torcida organizada do River Atlético Clube. Responsável, bem intencionado, ele apenas trabalha para fazer uma festa bonita nos estádios e promover a agremiação que torce e vibra. Pela ação de alguns do grupo não se pode criticar e nem penalizar todos, mas é necessária uma ação preventiva das autoridades policiais e da própria Federação de Futebol do Piauí para que sejam evitadas agressões físicas e até morte entre os torcedores do River e do Parnahyba.

River a Parnahyba são duas agremiações futebolísticas conceituadas em nosso Estado, com diretorias responsáveis e formadas por cidadãos conhecidos e respeitados na sociedade piauiense, não merecem portanto que alguns marginais travestidos de torcedores estraguem o trabalho árduo de dia-a-dia por melhores condições para o futebol piauiense como um todo.


Reações:
 
Top