Uma rebelião no presídio de Esperantina, cidade da Região da Grande Barras, distante 50 Km da Terra dos Governadores, deixou dois mortos na manhã dessa Quarta-feira (22). A informação é do diretor administrativo do Sinpoljuspi (Sindicato dos Agentes Peninteniários do Piauí), Kleiton Holanda, que disse que presos dos pavilhão B tentaram invadir o pavilhão C para matar desafetos e resultou em numa rebelião que se estende até o momento.
A polícia já está no presídio para tentar acalmar os ânimos dos detentos, mas já confirmaram duas mortes, sendo um preso de Teresina e outro de Esperantina, conhecido como Pimentinha. Hoje o presídio tem 297 presos e enfrenta superlotação.
De acordo com diretor de presídios da Secretaria de Justiça, Fagner Martins, ainda não confirmou as mortes. Segundo ele, apenas a equipe médica vai atestar o óbito, porém já acionou o Instituto Médico Legal (IML).
Ele disse que há um “princípio de motim” e já deslocou equipes de policiais de Esperantina, Barras e Piripiri para ajudar no reforço dos agentes no presídio.
Incêndio na entrada dos pavilhões
Segundo Kleiton Holanda, os cinco agentes de plantão tentaram controlar a revolta dos presos, mas as munições acabaram e os presos ainda tocaram fogo nos pavilhões.
“Lá está dramático. As munições já acabaram, a polícia ainda está chegando e eles incendiaram as entradas dos pavilhões. Até agora se sabe de dois mortos, mas podem ser muito mais”, destacou.
Ele disse que a capacidade do presídio é de 124 detentos e hoje possuem 297.“Evoluiu mais com a ida de 20 presos da Central de Flagrantes na semana passada. Já dissemos que é só transferência de problema, porque não resolve”, afirmou Kleiton Holanda.
Polícia controla rebelião
De acordo com o comandante da Companhia da Polícia Militar na cidade, capitão Luiz Gonzaga Albuquerque, declarou que a rebelião já foi contida com a chegada da polícia e estão negociando a transferência de presos dos pavilhões envolvidos. “Já contornamos a situação e foram confirmadas duas mortes. Estamos providenciando a remoção dos corpos para serem periciados”, destacou o capitão Luiz Albuquerque.
O capitão disse ainda que será aberta uma investigação para identificar os autores das mortes. “As primeiras informações é que o motivo seria rixa entre eles. A situação ainda será averiguada”, afirmou.

(*) CidadeVerde

Reações:
 
Top