Praça Senador Joaquim Pires, centro de Barras.


O Prefeito de Barras, Edilson Sérvolo Sousa, foi denunciado ao Ministério Público  por malversação de recursos público e improbidade administrativa.  De acordo com o documento, cuja cópia segue em link no final desta reportagem, existe, por parte desta administração, uso indevido de verbas de natureza de toda espécie, inclusive verba Federal. O processo consta no Ministério Público Estadual com o número 089/2015, além disso os vereadores da oposição estão com cópia para apuração também na  Procuradoria do Ministério Público Federal do Estado do Piauí.
A primeira denúncia é referente a pagamentos de um contrato  celebrado entre a Prefeitura Municipal de Barras e a Empresa de aluguel de veículos automotores, Betinho Veículos LTDA, situada em Teresina.
“Tal CONTRATO diz respeito ao PREGÃO 007/2013, que apenas em 19 (dezenove) meses, mais precisamente de JUNHO de 2013 a DEZEMBRO DE 2014, rendeu aos cofres do Sr. Betinho Veículos a cifra de R$ 4.001.162,00 (QUATRO MILHÕES, UM MIL, CENTO E SESSENTA E DOIS REAIS)”, informa o documento.
A denúncia diz que o  dinheiro público envolvido nesse contrato viabilizaria adquirir como patrimônio do município de Barras-PI cerca de Cinquenta veículos  S10/2015 cabine dupla, que  passariam a integrar o patrimônio do povo, com vida útil de mais de dez anos e a serviço da coletividade, no entanto, o capital público dilui-se em aluguéis que supostamente são fictícios. “Portanto, acreditamos que essa Empresa tenha por escopo atuar na execução de contratos de locação de veículos aparente ou irreal”, diz o documento.
Além disso, o texto acrescenta como envolvidos na mesma trama a Secretaria de Educação, que aluga transporte escolares apesar da cidade ter mais de dez ônibus provenientes de programa federal que atendem aos alunos do município; a Secretaria de Assistência Social, que dispõe de veículos próprios e inclusive de veículos alugados de particulares residentes em Barras e o Hospital Leônidas Melo. “Os pacientes de Barras são transportados através de veículos particulares de cidadãos barrenses, pagos diretamente por meio dos recursos de AIHs (Autorização de Internação Hospitalar). Logo, não ratifica a finalidade dos aluguéis em questão”, traz o texto.
A denúncia se estende também a uma empresa de construção civil denominada Sampaio e Silva Ltda referente à construção de uma quadra de esporte na localidade Riacho Verde. Conforme o documento, a quadra não existe.  “A NOTA FISCAL Nº 4 emitida no dia 08/08/2014, emitida pela Prefeitura Municipal de UNIÃO-PI, coincidindo os pagamentos, o objeto e os valores do empenho e nota fiscal  que representam 20%  do pagamento da construção de uma quadra na localidade Riacho Verde, cujo valor é de R$ 101.260,78 (cento e um mil, duzentos e sessenta reais e setenta e oito centavos)”.
Leia a denúncia na íntegra no link a seguir:

(*) Com informações do longah.com
Reações:
 
Top