Em 22 de abril de 1935, o médico Leônidas de Castro Melo é eleito governador do Piauí pelo sistema de votação indireta, realizada pela Assembléia Estadual Constituinte. Tornar-se-ia o político que ficaria mais tempo à frente do poder executivo, de forma ininterrupta, uma vez que, implantado o Estado Novo de Getúlio vargas, em 1937, Leônidas Melo seria confirmado como Interventor, governando o Piauí até 1945.

O registro de Severino Filho causa uma indagação nos barrenses. Há 80 anos Barras não produz políticos que prestem! Ou ao menos políticos que ganhem a confiança do povo piauiense para a "Terra dos Governadores" voltar a ser a "Terra do Governador". O que será mesmo que aconteceu com a classe política barrense?

BIOGRAFIA
Filho de Regino Lopes de Melo e Maria Castro Melo, formou-se médico pela Faculdade Nacional de Medicina, chefiando o Serviço de Profilaxia Geral do Piauí, o Serviço de Profilaxia da Hanseníase e o Serviço de Doenças Venéreas do Piauí. Também professor, dirigiu o Ginásio Oficial do Piauí e depois foi Diretor do Ensino do Estado. Secretário-geral do governo estadual, assumiu a cadeira de governador do Piauí em 3 de maio de 1935, após eleição pela Assembléia Legislativa, sendo nomeado interventor pelo presidente Getúlio Vargas em 23 de novembro de 1937, durante os primeiros dias do Estado Novo, permanecendo no poder até 9 de novembro de 1945.
Fundador do PSD no Piauí perdeu a eleição para senador em 1945 e depois presidiu o Tribunal de Contas do Estado (1946-1950). Eleito deputado federal em 1950 e senador em 1954 tendo Mendonça Clark como suplente, filiou-se à ARENA com a vitória do Regime Militar de 1964 embora não tivesse mais ambições políticas.
Em seu governo foi inaugurado o Hospital Getúlio Vargas, além de escolas e obras de infra-estrutura. Episódios rumorosos, como a queima de casebres em Teresina e o movimento messiânico Pau-de-colher, também marcaram seu governo, além de denúncias de tortura e censura à imprensa.
A participação de piauienses na Segunda Guerra Mundial também se efetivou durante o seu mandato.
Reações:
 
Top