A crítica só é justa se ela é imparcial e procura orientar para uma solução positiva.

A bem da verdade, em Barras, a PRAÇA SENADOR JOAQUIM PIRES ou PRAÇA DA MATRIZ (assim nominada para homenagear um dos mais destacados filhos da Terra dos Governadores, o Senador Joaquim Pires Ferreira), nunca teve um projeto de arquitetura para dar vulto e destaque a mais nobre área pública da cidade.

A praça surgiu como área de entorno da Igreja de Nossa Senhora da Conceição e daí irradiou o crescimento da cidade. Antigamente era apenas um grande largo, com muitas mangueiras e figueiras. 

No começo da década de 50, na administração do prefeito Chico Luiz, veio a pavimentação ensejando um traçado bem planejado. Foram construídas e calçadas as ruas do contorno, ou seja dos quatros lados da praça, uma pista diagonal e outras duas pistas, e, plantadas várias árvores (mangueiras e figueiras).

Na administração do prefeito Nesin Almeida foram construídos alguns caramanchões que tiveram vida efêmera.

Até onde pesquisei não encontrei qual prefeito autorizou o Sr. Dico Gonçalves a construir um quiosque e um posto de gasolina na área desta praça. O quiosque começou como uma construção pequena e de madeira tendo, ao longo do tempo sofrido modificações, passando a ser de alvenaria, inclusive com um andar superior cujo acesso era uma escada de alvenaria em uma de suas laterais. Sei que o quiosque deu vida a praça que então era muito frequentada a noite e nas manhãs de domingo após a missa na matriz.

Nas sucessivas administrações municipais, cada uma a seu jeito, implantava pequenas modificações. Retiraram o posto de gasolina, demoliram o quiosque, derrubaram a maioria das árvores, substituíram os bancos da praça, construíram um lago onde era o quiosque, aterraram o lago, trocaram os postes para melhor iluminação, bloquearam a movimentação de veículos nas pistas internas da praça, construíram um pequeno e tímido coreto e, por fim, a maçonaria construiu um monumento na festa do centenário de Barras.

Falta, na realidade, um prefeito que faça desta nobre área um cartão postal não só da cidade, mas, de todo o Piauí.
Tenho conhecimento que existem vários projetos arquitetônicos elaborados a mando de vários prefeitos, mas que nunca foram executados. Falta de decisão politica? Falta de interesse público? Falta de cobrança dos vereadores e líderes políticos ao longo do tempo ou simplesmente falta de fonte financiadora?

A nossa praça está muito feia. Destoando da praça da matriz, na frente da sede atual da prefeitura, existe uma pracinha (Praça Antônio Félix de Carvalho), com arborização e uma arquitetura interessante, agradável e que encanta. 

Quem sabe o prefeito Edilson toma uma decisão corajosa e histórica e se imortaliza com uma obra deste porte e como grande visibilidade?

Está feito o desafio, tanto para o Prefeito e sua Equipe administrativa quanto para os vereadores atuais que, acredito, querem o melhor para a nossa querida BARRAS, a eterna TERRA DOS GOVERNADORES.






(*) Manoel Monte Filho, é professor universitário, odontólogo e imortal da Academia de Letras do Vale do Longá.
Reações:
 
Top