A Lampions League começou com grandes jogos e bom público nos estádios, como já se esperava. A abertura aconteceu na terça-feira (3) em João Pessoa/PB quando o River/PI venceu por 2x1 o Botafogo da Paraíba.

Nesta Quarta-feira, mais cinco jogos deram continuidade a mais charmosa competição regional do Brasil. Os resultados foram os seguintes:
Bahia 1x0 Campinense/PB
Coruripe/AL 1x1 Socorrense/SE
Confiança/SE 1x0 Vitória/BA
Ceará 1x1 Fortaleza
Sampaio Corrêa/MA 3x2 Sport/PE

Nesta Quinta-feira (5) mais 4 jogos movimentam a Copa do Nordeste

Serrano/BA x América/RN, 19h (horário do Nordeste), ao vivo Esporte Interativo Nordeste
Náutico/PE x Salgueiro/PE, 19:45h (horário do Nordeste), ao vivo Esporte Interativo
Piauí x Moto Club/MA, 21:45h (horário do Nordeste), ao vivo Esporte Interativo
Globo/RN x CRB/AL, 21:45h (horário do Nordeste), ao vivo Esporte Interativo Nordeste

Histórico da Copa do Nordeste

Historicamente, a Copa do Nordeste sempre foi um torneio intermitente no calendário do futebol brasileiro. Porém, o revigorado torneio regional inicia nesta temporada uma sequência de pelo menos dez competições consecutivas, até 2022.

O Nordestão de 2015 está sendo tratado no material de divulgação da competição como a 12ª edição, contando a partir de 1994. Até hoje, apenas quatro clubes ergueram a taça de campeão. No entanto, outras torcidas da região contestam os dados e apontam mais competições de âmbito regional, ou até mesmo inter-regional.


De fato, a gama de campeonatos deste porte seria bem mais ampla, algumas delas até com a chancela da CBD, precursora da Confederação Brasileira de Futebol. Na lista dos principais torneios que em algum momento foram apontados como “Copa Nordeste”. Seriam trinta! Entre parênteses, o número de participantes de cada um. 


Confira.


No Nordeste:


Copa Cidade de Natal – 1946 


O torneio foi realizado para celebrar a instalação do sistema de iluminação do estádio Juvenal Lamartine, em Natal, que abrigou todas as partidas.
1946- Campeão Fortaleza (4 equipes participaram)


Torneio dos Campeões do Nordeste – 1948


Foi o primeiro torneio com representantes de cinco estados. Todos os jogos ocorreram no Recife. O Santa Cruz, campeão pernambucano no ano anterior, estreou na semifinal.
1948 Bahia Campeão (6 equipes participaram)


Torneio José Américo de Almeida Filho – 1975/1976


A competição foi organizada em homenagem ao estádio homônimo, o Almeidão, em João Pessoa, inaugurado no mesmo ano. Na temporada seguinte, o torneio foi ampliado, com direito à curiosa participação do Volta Redonda, do Rio de Janeiro.
1975 CRB Campeão (6 equipes participaram)
1976 Vitória Campeão (12 equipes participaram)
Copa do Nordeste – 1994/2010


Em 1994, a FPF firmou uma parceria com o governo de Alagoas para organizar a “1ª Copa do Nordeste”, como a competição foi lançada. Com o sucesso, acabou ganhando a chancela da CBF, que passou tomar conta do regional em seu período mais duradouro.
Confira as equipes campeãs e o numero de participantes:
1994 Sport (16)
1997 Vitória (16)
1998 América-RN (16)
1999 Vitória (16)
2000 Sport (16)
2001 Bahia (16)
2002 Bahia (16)
2003 Vitória (12)
2010 Vitória (15)

Nas regiões Norte e Nordeste:

Torneio dos Campeões do Norte-Nordeste – 1952
A premissa do torneio era uma ampliação da competição realizada na capital pernambucana em 1948. Quatro anos depois, o Norte foi incorporado. Campeão estadual em 1951, o Timbu entrou na semifinal do torneio, novamente realizado apenas no Recife.
1952 Náutico (8)


Copa dos Campeões do Norte – 1966
Apesar do nome, a copa reuniu os vencedores da fase Norte-Nordeste da Taça Brasil. Até 1966, apenas clubes nordestinos haviam vencido. Todos os participantes se enfrentaram em jogos ida e volta na Fonte Nova, PV, Aflitos e Ilha do Retiro.
1966 Náutico (5)


Torneio Hexagonal Norte-Nordeste – 1967
Apesar das duas regiões envolvidas, foram incluídos apenas três estados, com dois pernambucanos, dois cearenses e dois paraenses em jogos de ida e volta.
1967 Santa Cruz (6)


Taça Almir de Albuquerque – 1973


A competição foi, na verdade, a primeira fase do Brasileirão. Na ocasião, foi criado um troféu ao melhor time em homenagem ao atacante Almir Pernambuquinho, revelado pelo Sport em 1956 e que faleceu justamente em 1973. A taça foi instituída a pedido da FPF.
1973 América-RN (16)


Copa Norte – A fase Norte-Nordeste da Taça Brasil – 1959/1968


Agora unificada ao Brasileirão, a pioneira Taça Brasil surgiu em 1959 como a competição que indicaria o representante do país à Taça Libertadores do ano seguinte. Com a precária estrutura de deslocamento de um país continental, o torneio de mata-mata foi regionalizado. Na fase Norte, que compreendia o Norte-Nordeste, o campeão tinha direito a vaga na semi ou na final nacional – sem definição prévia. Os vencedores do zonal celebravam as conquistas regionais, ainda que não fossem um torneio à parte.


Campeões da fase Norte-Nordeste da Taça Brasil e numero de participantes:
1959 Bahia (8)
1960 Fortaleza (9)
1961 Bahia (9)
1962 Sport (11)
1963 Bahia (10)
1964 Ceará (11)
1965 Náutico (11)
1966 Náutico (11)
1967 Náutico (10)
1968 Fortaleza (11)


Torneio Norte-Nordeste – 1968/1970


Paralelamente ao Torneio Roberto Gomes Pedrosa, agora unificado ao Brasileirão, a CBD organizou o interregional para movimentar os clubes, uma vez que não havia sistema de divisão, ou mesmo de classificação, pois a participação no Robertão era via convite.
1968 Sport (23)
1969 Ceará (26)
1970 Fortaleza (36)
Considerando os títulos regionais e interregionais oficiais: Vitória (4), Sport (3), Bahia (2), Ceará (1), Fortaleza (1) e América-RN (1).


Em 1997, o torneio passou então a ser organizado pela CBF, com os clubes entrando pelo critério de merecimento: participavam apenas os melhores classificados nas respectivas competições estaduais. Nos dois primeiros anos, assegurava ao campeão uma vaga na Copa Conmebol do mesmo ano. O sistema de grupos foi deixado para trás e a primeira Copa dessa nova "era" foi disputada apenas em mata-mata. O Vitória chegou à final invicto, assim como seu arquirrival, Bahia, fazendo a primeira de três finais que a dupla BaVi decidiu o campeonato. O resultado foi 4 a 2 no agregado para o rubro-negro, se sagrando campeão pela segunda vez e primeira no novo formato.

Já em 1998, com o sistema de grupos de volta, mais uma vez o Vitória chegou à final, dessa vez tendo como adversário o América de Natal. Derrotado por 2 a 1 na partida de ida, o clube potiguar ficou com a obrigação de vencer em Natal, tarefa que cumpriu, fazendo 3 a 1 no time baiano e ficando com o título.

No ano seguinte, o favoritismo era do Bahia, que havia terminado a fase de grupos invicto e passou por América de Natal e CSA com certa facilidade nas fases seguintes. O adversário da final, mais uma vez, era o Vitória, dono de uma campanha razoável ao longo da competição. Porém, vencendo por 2 a 0 a partida de ida e perdendo por 1 a 0 a de volta, o time da Barra sagrou-se o primeiro tricampeão do Nordeste e o primeiro bicampeão no novo formato.

Na sua quarta final consecutiva, em 2000, o Vitória agora enfrentaria o Sport, dono da melhor campanha até então, fato responsável pelo título pernambucano, já que, com dois empates em 2 a 2, foi considerado campeão por tê-lo feito.

Regional de maior sucesso do país
Em 2001, uma nova fórmula para o certame foi designada, passando a ser disputado em pontos corridos com os quatro melhores pontuadores ao fim dos confrontos avançando às semifinais. Essa mudança gerou muito investimento no campeonato, e chegou a ser a competição com melhor média de público do país na época. Nas duas edições em que foi disputada por pontos corridos, assim como em 2000, os primeiros colocados ganhavam vagas na Copa dos Campeões.

O Bahia bateu o terceiro colocado Fortaleza e fez a segunda final Bahia x Pernambuco seguida, que teve como vencedor o tricolor baiano por 3 a 1.

Em 2002 o Vitória chegou à final contra o Bahia, e acabou não conseguindo reverter à vantagem que o tricolor impôs no jogo de ida, 3 a 1, e a partida de volta ficou apenas num empate em 2 a 2, dando ao Bahia o segundo título consecutivo.
Depois de uma última edição sem diversos dos principais clubes da região, que teve como campeão o Vitória, pela quarta vez, em cima do Fluminense de Feira, o torneio foi cancelado em 2004 pela CBF por falta de datas no calendário anual, apesar do notável crescimento e da importância que ganhava no cenário nacional, embora o contrato acertado com os clubes garantisse mais algumas edições. Vários desses clubes processaram a entidade máxima do futebol brasileiro e ganharam a causa. Um acordo foi feito no início de 2010 para a volta do campeonato, com a condição da extinção deste processo. Esse acordo foi aceito e, assim, a Copa voltou no dia 9 de junho de 2010.

Utilizando em sua maioria jogadores das categorias de base, o Vitória classificou-se em segundo lugar na primeira fase e venceu a final (disputada em jogo único) contra o estreante em decisões ABC. Por ter se classificado na primeira colocação, o ABC teve o direito de disputar a final em seu mando de campo, o Frasqueirão, em Natal, mas mesmo assim acabou derrotado por 2 a 1, após a virada do rubro-negro baiano. Assim, o Vitória levantou seu quinto troféu do torneio. 

Após mais dois anos sem a disputa do torneio, no dia 13 de setembro de 2012 a CBF oficializou o retorno da competição para o ano seguinte, com esta passando a ser disputada entre os meses de janeiro e março. A partir de 2014, o torneio passará ao seu campeão uma vaga na Copa Sul-americana do mesmo ano.

Somando todos os campeões do Nordestão e do Norte-Nordeste, oficiais ou não (até o momento): Bahia (6), Náutico (5), Vitória (5), Fortaleza (4), Sport (4), Ceará (2), América-RN (2), Santa Cruz (1) e CRB (1). 
Já a Copa do Nordeste de Futebol (também conhecida como Nordestão, Campeonato do Nordeste e Lampions League) é também disputada entre equipes da Região Nordeste do Brasil. E considerado um dos campeonatos regionais mais importantes do país, o Nordestão foi uma competição intermitente no calendário do futebol brasileiro em seus primeiros anos.
Só que foi realizado pela primeira vez em 1994, o torneio foi disputado continuamente entre 1997 e 2003, época em que passou a ser organizado pela Confederação Brasileira de Futebol. Teve quase todas suas edições canceladas entre 2004 a 2012, com exceção do campeonato 2010. Retornou novamente ao calendário do futebol brasileiro em 2013.

Das 12 edições realizadas, houve cinco clubes campeões. O Vitória é o maior vencedor do Nordestão, com 5 títulos, seguido do Sport Recife com 3 conquistas e Bahia com 2 conquistas.

A partir da edição de 2014, o campeão passou a garantir uma vaga na Copa Sul-Americana.

Reações:
 
Top