Um jovem de iniciais C. D. está sendo investigado pela Polícia Civil de Paulistana, sul do Piauí,  por compartilhar pornografia infantil através da internet. O caso foi descoberto no município de Jacobina, a 434 km de Teresina.
De acordo com a polícia, desde o final de 2014, o jovem estaria compartilhando fotos pornográficas suas por meio do aplicativo WhatsApp, e também recebia fotos de uma adolescente. Além disso, o acusado estaria tentando influenciar outras jovens a lhe enviar fotos nuas. Familiares da adolescente afirmam que ela teria sido iludida e coagida para que aceitasse a troca de fotos. O suposto vazamento das imagens levou a mãe da menor a registrar B.O na Delegacia.
Com a investigação em andamento, a polícia já apreendeu celulares contendo material pornográfico, o que comprovaria a veracidade do caso. Devido ao aumento desse tipo de crime no Brasil, o delegado regional em exercício, Otony Nogueira Neto, chama a atenção para o caso. “A preocupação da polícia vem crescendo e estamos aumento o combate deste tipo de prática”, afirma. Menores de idade estão também "fazendo farra" enviando uns para os outros, fotos da suas partes íntimas e transando - que são compartilhadas.
A divulgação de pornografia infantil pela internet é considerado crime sob pena de reclusão de 1 a 8 anos, além de pagamento de multa. Na semana passada, a justiça federal obteve a condenação de Adawilcifran Teles da Silva, acusado de troca e divulgação na internet de imagens e vídeos contendo cenas de sexo explícito e pornografia envolvendo crianças, além de ter armazenado material pornográfico em sua casa entre 2011 e 2014.
Em fórum de sites pedófilos na internet, Adawilcifran era conhecido como “o melhor amante de crianças do mundo”.
(*) Portal Cidade Luz
Reações:
 
Top