O quiprocó do Carnaval de Barras está longe de acabar. A confusão foi parar na delegacia de polícia da Terra dos Governadores, onde o coordenador do bloco, Manoel Cordeiro da Silva, foi registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) contra o prefeito Edilson Sérvulo de Sousa.


Segundo Manoel Cordeiro, o prefeito Edilson Sérvulo, mandou ele contratar a Banda Nairê pela quantia de R$ 90 mil. Manoel depositou 10 mil na conta do proprietário do trio e o restante, R$ 80 mil, deveria ser pago na chegada do trio a Barras, o que aconteceu no sábado de Carnaval. Mas, segundo o B.O., o grupo ficou esperando enquanto Cordeiro localizava o prefeito, quando soube da própria boca de Edilson que ele não cumpriria o acordo. Ou seja, não efetuaria o restante do pagamento. Nesses termos, Manoel Cordeiro foi obrigado a dispensar a banda.

A editoria do Tribuna de Barras telefonou várias vezes para o prefeito de Barras, Edílson Sérvulo, para saber da sua opinião sobre o caso, mas seu telefone de iniciais 9405 (****) não atendeu e nem retornou a ligação.

(*) Com informações do  longah.com
Reações:
 
Top