O Bloco Voa-Voa, que pretendia ser uma filial do sucesso do Voa-Voa de Salvador/BA em terras piauienses, mas pecisamente na cidade de Barras, não conseguiu vender nem 1.500 abadás, informou em rede social Manoel Cordeiro Junior, que é filho do radialista Manoel Cordeiro, coordenador do bloco em Barras.

Com pouco dinheiro em caixa, o Voa-Voa piauiense não conseguiu pagar antecipadamente as bandas que anunciara para subirem no trio-elétrico, durante seu desfile na Avenida Deputado Pinheiro Machado. Muitos foliões, sentido-se lesados, registraram boletins de ocorrência na Delegacia de Polícia de Barras.

Na verdade faltou divulgação, além de um trabalho mais arrojado e profissional.



Reações:
 
Top