Raimundo de Sousa Barros (o mais baixo do grupo da foto acima) deu orígem a Família Barros da cidade de Barras - Piauí

Barros é um sobrenome de origem portuguesa, considerado como sendo um toponímico, pois um barro era uma casa ou habitação de um lavrador; pode também ser derivado de uma alcunha, sendo comparado ao sobrenome Barroso " o que tem barros ou espinhas no rosto ". Existem documentos do século XIII que citam um certo Domicius Cervejo de Barro. A família procede do Solar de Barros, do Concelho de Regalados, provincial portuguesa entre o Douro e o Minho. Essa família Barros procede de Gonçalo Nunes de Barros, senhor de Castrodairo, no tempo de D. João I. O sobrenome Barros começou a ser conhecido em Portugal no tempo do Rei D. Diniz quando teve neste reino muitos Morgados, propriedades, fazendas e terrenos, sendo desta família o grande cronista João de Barros. 


Barradas é também um sobrenome de origem portuguesa, classificado como sendo um toponímico, ao que parece, seria uma variação de Barros, Barreiros, derivado de Barreira, "lugar de onde se extrai barro". Provavelmente, o primeiro indivíduo a se destacar com o uso deste sobrenome deveria morar próximo a tal lugar ou trabalhar nele. Outras derivações seriam Barroso, Barro e Barreto, apelido dado aos que trabalhavam com o barro,fazendo vasilhas de ceramica, telhas e tijolos, fosse por profissão, fosse pelas condições de clima e solo na região onde moravam. No Brasil, a família Barros predomina mais no nordeste, no norte e sudeste do lado da América que pertenceu aos portugueses, principalmente em São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, Ceará, Bahia, Piauí, Maranhão e Pará. Os que se misturaram do lado oeste de domínio espanhol variaram seus sobrenomes para Barrios, Barroso, Barradas e Barraus, nomes que aparecem no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Esses também se dedicaram à agricultura e à criação de caprinos e bovinos em todo o sertão durante toda a colonização. O sobrenome Barros aparece em Pernambuco desde a época das capitanias hereditárias do Ceará, com a de Antonio Cardoso de Barros e a de João de Barros. Outros desse sobrenome Barros vieram com Tomé de Souza e Duarte da Costa com cujas famílias Sousa e Costa se relacionaram. 

Na microrregião de Salgueiro/PE, principalmente nas cidades de São José do Belmonte e Mirandiba predomina essa Família Barros, bem como em Parnamirim, Ouricuri e Bodocó. Da família Barros de Parnamirim que atualmente moram em Itaituba no Pará há Osvaldo Barros, José Rubens Barros e Marinêz Barros, todos casados na família Sá Almeida, filhos de José Conrado Barros (Neci) e Maria de Lurdes Agra Barros (Santa).

No Estado do Piauí os Barros são tradicionais nas cidades de Pedro II, Barras (os Barros da cidade de Barras são uma extensão dos Barros da cidade de Pedro II), Picos e Bocaina (os Barros da cidade de Bocaina são uma extensão dos Barros da cidade de Picos). Em Barras a família surgiu em 1933 com o casamento de Raimundo de Sousa Barros (natural de Pedro II/PI) e Rosa Rodrigues da Cunha Barros (natural de Teresina/PI mas da tradicional Família Cunha da cidade de São Benedito/CE).

Rosa da Cunha Barros (nome de solteira: Rosa Rodrigues da Cunha),
natural de Teresina mas da tradicional Família Cunha, da cidade de São Benedito - Ceará. Foi a primeira professora formada a lecionar na cidade de Barras - Piauí.
Reações:
 
Top