Deputado Federal Jesus Rodrigues escreve artigo no Tribuna de Barras
Em artigo enviado ao Tribuna de Barras com pedido de publicação o deputado federal Jesus Rodrigues (PT), chama atenção para o eleitorado da Assembléia Legislativa do Piauí e diz também não apoiar o deputado Fábio Novo (PT) para presidência da Casa. Leia a seguir.
   
Temos visto uma cobertura muito simples ou superficial da eleição para presidência da Assembleia Legislativa do Piauí, fato que ocorrerá no dia primeiro de fevereiro, na abertura da próxima legislatura. Isso não é um fato sem importância que interesse apenas aos trinta eleitores deputados, eleitos de forma efetiva na última eleição.

 As notícias que têm circulado pela imprensa dizem mais respeito a questões do tipo se o voto deve ser em urna eletrônica ou em cédula de papel, como defendem um e outro candidato, e menos sobre as propostas de cada candidato para que o Poder Legislativo Estadual possa contribuir de forma objetiva para o desenvolvimento de nossa sociedade.

O deputado Themístocles Filho, cinco vezes presidente, sabe do risco que corre com a votação em cédula de papel. Qual seja, o voto identificado na cédula e não secreto como na urna eletrônica. Voto identificado com um pingo de tinta no canto superior esquerdo, uma cruz no nome e não um X, uma dobra vincada no canto inferior direito e assim por diante, trinta sinais e, quem sabe, trinta "dinheiros". Para o candidato deputado Fábio Novo, que faz o papel de Pôncio Pilatos na Paixão de Cristo de Bom Jesus, apenas uma coincidência, mas o medo da traição fica claro nos dois candidatos.

Entre os dois candidatos, Themístocles Filho tem muito mais história e algumas delas precisam ser explicadas. Por exemplo, suas contas de 2008 e 2009 estão reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Reprovadas por unanimidade em último recurso, caiu Themístocles na lei da ficha limpa, isto é, se tornou um político ficha suja, entretanto, por um benefício da lei, um juiz concedeu uma liminar e permitiu que disputasse e ganhasse mais uma eleição. A rigor, não poderia nem ser candidato, mas é assim mesmo, como se diz no popular, “aos amigos os benefícios da lei, aos inimigos os rigores da lei”. O Teté é um homem de muitos amigos, inclusive na justiça.

Esse é o resultado que poderemos ter na eleição da Alepi, um deputado com essa ficha, presidente do Poder Legislativo Estadual (até o dia que a liminar o sustente).

Embora eu ainda seja deputado petista até o fim do mandato, não teria motivos especiais para defender a candidatura do deputado Fábio Novo, até porque politicamente falando eles são muito parecidos. Lembro do tempo que o então jornalista Fábio Novo apoiava e era apoiado, pelo então governador Mão Santa. Depois Fábio Novo virou tucano, mas só chegou à glória como petista.

Levanto essas questões menos como deputado e mais como cidadão, porque não poderia me permitir conhecer fatos tão importantes como os abordados aqui, conhecidos também por tantos outros cidadãos, mas que não têm sido levados ao debate público. Considero importante que todos os eleitores piauienses façam o seu debate com os trinta privilegiados eleitores que escolherão o presidente do Poder Legislativo Estadual. 


AUTOR: JESUS RODRIGUES

Deputado Federal, PT
Reações:
 
Top