Ao contrário da edição de 2014 o Campeonato Piauiense 2015 poderá ter estádios quase vazios! Foto: Estádio Albertão, em Teresina.
Com o Barras Futebol Club e a Associação Atlética Cori-Sabbá fora do Campeonato Piauiense 2015 devido a falta de apoio dos seus patrocinadores master's, Prefeitura de Barras e Prefeitura de Floriano, respectivamente, e ainda Comercial e Picos não aceitos para retornarem, o Estadual do próximo ano só será disputado por seis clubes: Piauí, River, Flamengo do Piauí, Caiçara, Parnahyba e 4 de Julho.

Considerando-se que o Parnahyba é um grande ponto de interrogação, pois até o momento sem patrocinador, pode vir com um time sem condições concretas de concorrer ao título; e que o Caiçara vem com os mesmos "meninos" do ano passado, quando sofreu várias goleadas; e que o 4 de Julho pretende fazer um time caseiro à base de jogadores amadores da cidade de Piripiri, antes mesmo de começar o Campeonato Piauiense 2015 o River e o Piauí Esporte Clube já são francos favoritos ao título.

Com o Estadual de 2015 com a presença de apenas 6 clubes, houve uma regressão tanto na quantidade como na qualidade da competição, que nos últimos três anos vinha empolgando. A tendência, se não houver muito marketing por parte da FFP - Federação de Futebol do Piauí, promotora do evento, será de uma competição de estádios vazios.

Barras, Comercial, Picos e Cori-Sabbá

As agremiações do Barras Futebol Club, Comercial Atlético Clube, Sociedade Esportiva de Picos e Associação Atlética Cori-Sabbá, só retornarão a partir de agora para a elite do futebol piauiense passando pela 2ª Divisão, que será disputada no segundo semestre de 2015. A falta de profissionalismo dos dirigentes desses clubes ou melhor, "times" ,- pois não são clubes, não têm sede, é a principal causa para o desgaste e o desprestígio; agora também aliados ao desrespeito para com seus torcedores. 

Quanto aos patrocinadores de Barras, Comercial, Picos e Cori-Sabbá (as prefeituras da cidades de Barras, Campo Maior, Picos e Floriano), com certeza estarão em Fevereiro próximo gastando R$ 500 mil, R$ 800 mil com carnaval contratando bandas de forró, swingueira e outras de péssimo nível musical, a preços superfaturados, onde "cada um ganha o seu"...

Reações:
 
Top