A polícia prendeu na tarde desta quinta-feira (06) por volta das 14:30h o traficante conhecido por "Chiê", autor de uma chacina na cidade de São Miguel do Tapuio, norte do Piauí. Clewilson Matias, o "Chiê" matou cinco pessoas, entre elas a sua esposa, na última Quinta-feira (30 de Outubro).

Chiê estava escondido na casa de um comparsa na própria cidade onde ele cometeu os assassinatos. O comparsa também foi preso. A polícia já havia vasculhado toda a região, inclusive em cidades do Ceará, mas para a surpresa de todos o assassino estava escondido na sua própria cidade.

Tatuado, como a maioria dos bandidos, Chiê e o comparsa foram encaminhados para a delegacia de Castelo do Piauí e está sendo interrogado pelo delegado Laércio Evangelista.

"Nós recebemos uma denúncia de que ele estava nessa casa e fomos verificar, e constatamos que ele realmente estava escondido na casa desse comparsa que também foi preso. O delegado da regional está interrogando Chiê nesse momento e mais tarde saberemos o motivo", disse o Coronel Lindomar Castilho.

A motocicleta que Chiê usou para fugir depois da chacina foi encontrada no final da noite de Domingo (02 de Novembro) abandonada em uma chapada entre os municípios de São Miguel do Tapuio e Assunção do Piauí.

Entenda o caso

Como um troféu, polícia exibe o assassino
pelas ruas da cidade.
No início da tarde da última Quinta-feira (30) o acusado provocou uma chacina no povoado Palmeira de Cima, zona rural do município de São Miguel do Tapuio, 227 km de Teresina.

Chiê executou cinco pessoas a tiros e em sequência, e ainda fez de refém outras dentro de uma escola do povoado. Em seguida emplacou fuga pelas matas da região. 

As vítimas foram a própria esposa do acusado que era agente de saúde no povoado, Maria Moreira do Nascimento, um professor de informática da escola identificado como Roberto Brito Bastos Crisóstomo, o líder comunitário Juvêncio, o neto de Juvêncio dos Reis da Silva, Sidney Tavares Silva, e mais um morador identificado como Cláudio Barros de Oliveira.







(*) Texto: Wanessa Gommes. Fotos: Polícia Militar do Piauí
Reações:
 
Top