Um homem sofreu tentativa de linchamento no início da noite desta Segunda-feira (27), na rua Porto, Bairro Monte Castelo, zona Sul de Teresina. As agressões, segundo populares, teriam sido feitas por taxistas, em represália após ele ter tentado assaltar um colega de profissão. O acusado pode perder a visão do olho direito.

Testemunhas afirmaram que um taxista teria reagido ao assalto e corrido atrás do suspeito e o alcançou nas proximidades das emissoras de TV da capital. Outros colegas motoristas teriam vindo atrás e agredido a vítima com barras de ferro e pedradas. Os agressores ainda tiraram as roupas do homem e o deixaram só de cueca.  A atitude dos taxistas se constitui em crime mais relevante perante a Lei que o acusado de roubo.

A agressão foi tamanha que há possibilidade de ele perder a visão de um dos olhos. A boca e o peito apresentam cortes. O ato só teria terminado porque populares começaram a gritar.
O imprensa chegou ao local antes das equipes médicas e da polícia. Vários táxis passaram pelo local durante todo o período, inclusive na chegada da ambulância e na saída da mesma, sob escolta da polícia. A reportagem também presenciou a chegada de um carro comum com dois homens fortes, que desceram na esquina e seguiram até a vítima caminhando. Poucos minutos depois, a dupla voltou ao veículo e foi embora. 

Após alerta de populares de que táxis esperavam a vítima no hospital, o coronel Alberto Menezes, comandante de policiamento da capital, escoltou a ambulância com sua viatura. A saída dos dois veículos foi presenciada pelo último táxi que passou pela rua Porto. No Hospital de Urgência de Teresina (HUT), nenhum taxista foi visto quando a ambulância chegou.  

Identificado como Jesualdo Moreira do Nascimento, 40 anos, o suspeito da tentativa de assalto seria gesseiro e morador da região. Ele deu entrada no HUT por agressão física, espancamento e sufocação, e foi acompanhado por familiares.  

A tentativa de linchamento será investigada. "Nenhuma pessoa pode fazer justiça com as próprias mãos. Não é dada essa competência para nenhuma pessoa, já que o Estado é que tem poder de polícia e de investigar", disse o coronel Alberto Menezes. 

O ato marginal dos taxistas tem que ser punido, afinal eles foram mais bandidos do que o homem que tentou cometer o assalto.




(*) Yala Sena e Fábio Lima, Cidade Verde
Reações:
 
Top