O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, rebateu nesta quarta-feira a profusão de ataques da presidente Dilma Rousseff (PT) à sua gestão no governo de Minas Gerais (2003-2010). "Vou citar um provérbio antigo, mas que me vem sempre à mente nesta campanha eleitoral. Dizem que quando você cai num buraco, como é o caso do Brasil, a primeira coisa a fazer para sair do buraco é parar de cavar. A primeira coisa que temos que fazer para sair do buraco é tirar o PT do governo", disse Aécio.
No debate da TV Bandeirantes, nesta terça, Dilma tentou desconstruir a administração de Aécio em Minas em praticamente todas as perguntas e respostas. O tucano devolveu afirmando que deixou o cargo, em 2010, já no segundo mandato, com 92% de aprovação.
Aécio participou de encontro com cerca de 500 prefeitos paulistas e representantes de 16 partidos em São Paulo. Com quase um terço de sua votação total obtida no Estado no primeiro turno, Aécio aposta que ainda pode ampliar seu eleitorado mirando os mais 5 milhões de votos em solo paulista da candidata derrotada Marina Silva (PSB), que o apoia no segundo turno.
O tucano também colou em Geraldo Alckmin, governador reeleito no primeiro turno: "Minha admiração por você não tem mais limites", disse. Antes do discurso do candidato tucano, falaram também o senador eleito José Serra, Alckmin e Aloysio Nunes Ferreira, seu candidato a vice. "Vamos multiplicar a sua voz, multiplicar sua luta. Onde a gente estiver, você estará", disse Alckmin.
Aécio ressaltou a importância da presença de prefeitos de outras siglas, além do PSDB. "Esse é um ato cheio de significados porque aqui, nesse momento, nós estamos recebendo apoio e manifestações de prefeitos, não apenas da nossa aliança, mas prefeitos agora de partidos que se somaram a nós, como o PSB. Prefeitos do PDT, prefeitos de vários partidos que não estão na nossa coligação formal, mas que nos apoiam. Inclusive prefeitos do PT. "
(*) Com informações da revista Veja


Aécio Neves tem 51% dos votos e Dilma Rousseff 49%, segundo pesquisas
Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (15) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
- Aécio Neves (PSDB): 51%
- Dilma Rousseff (PT): 49%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.
A pesquisa foi encomendada pela TV Globo. O Ibope afirma que o cenário para o segundo turno está indefinido e, neste momento, sem tendência visível de crescimento ou de queda para Aécio ou Dilma.
Os percentuais divulgados pelo Ibope são idênticos aos da pesquisa Datafolha que também saiu hoje, no início da noite.
Votos totais

Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

- Aécio Neves (PSDB): 45%
- Dilma Rousseff (PT): 43%
- Branco/nulo: 7%
- Não sabe/não respondeu: 5%

Na margem de erro, os candidatos estão empatados tecnicamente.
No  levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 9, Aécio tinha 46% e Dilma, 44%.
O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 204 municípios entre os dias 12 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01097/2014.
1º turno
No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55%.

(*) Com informações do G1
Reações:
 
Top