Atualizadas :

Grande Barras

Cidade

Eventos

Sociedade

Turismo

Barrense Zezé Carcará é o novo diretor de futebol do Piauí e Paulo Moroni o técnico

segunda-feira, 2 de março de 2015

Paulo Moroni volta ao comando técnico do Piauí Esporte Clube
O conhecido técnico Paulo Moroni (vice-campeão piauiense de 2014 pelo Piauí Esporte Clube), já tendo dirigido clubes das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro, acertou sua volta ao Piauizão Vibrante para a Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Campeonato Piauiense 2015. O técnico Marco Antônio Santos (Marcão) ficará como seu auxiliar-técnico, assim como no Estadual de 2014. Paulo Moroni se juntará ao grupo do Piauí nesta Quinta-feira (5) em Recife, quando acompanhará o jogo entre Náutico e Piauí, na Arena Pernambuco, pela Copa do Nordeste. Na Arena Pernambuco Marcão ainda dirigirá o Piauí Esporte Clube.

O conceituado Zezé Carcará (foto ao lado), natural de Barras, será o novo gerente de futebol e seis novos jogadores serão apresentados na "Toca do Rato" no próximo Sábado (7), juntamente com o técnico Paulo Moroni.

Zezé Carcará é o segundo filho da cidade de Barras a assumir posto relevante na atual diretoria do Piauí Esporte Clube; o também barrense Reinaldo Barros Torres (editor do Tribuna de Barras) é o Diretor de Comunicação do clube.

Leís, meia do Barras Futebol Club no ano passado também está no atual grupo de jogadores do Piauizão e o técnico Paulo Moroni também já treinou o Barras no Campeonato Brasileiro da Série C de 2007, quando o Bafo chegou ao octogonal final da competição iniciada com 67 clubes de todos os estados brasileiros.


Saiba mais sobre o Piauí acessando o site oficial piauiesporteclube.com.br

Visando o Campeonato Piauiense Sub-15 o Barras faz pré-temporada em Teresina

sábado, 28 de fevereiro de 2015


O Barras Futebol Club, sob o comando do técnico Zezé Tiúba e do preparador físico Arturo Marques, iniciou neste final de semana pré-temporada em Teresina visando a disputa do Campeonato Piauiense Sub-15.

Os meninos do Bafinho disputaram torneio quadrangular no campo do Jockey Club do Piauí envolvendo as equipes do Krac, Biro Esportes e a de um núcleo de futebol junior do Krac sediado no Bairro Mocambinho, em Teresina. No primeiro jogo do quadrangular o Barras perdeu de 4x0 para o bom time do Krac; já no segundo jogo empatou em 1x1 com o time do núcleo do proprio do Krac.

O Barras Futebol Club volta a disputar amistoso em Teresina no próximo final de semana com equipe ainda a definir, possivelmente o Racing ou o Fluminense Esporte Clube.

Falando ao tribunadebarras.com o técnico Zezé Tiúba disse: "Pela primeira vez estamos saindo para uma pré-temporada com nossas categorias de base. Vejo esses jogos e o próprio intercâmbio como salutares para que possamos desenvolver um melhor trabalho e representar bem o Barras Futebol Club no Estadual Sub-15".

Os meninos do Bafinho foram recepcionados em Teresina pela equipe do Tribuna de Barras, formada pelo editor Reinaldo Barros Torres, João Pedro Sales e Arthur Miranda.









A boa equipe do Krac, patrocinada e dirigida pelo empresário
Franklin Kalume (da empresa Kalfix). O Barras perdeu para o
Krac pelo escore de 4x0.



Time do Núcleo do Krac no Bairro Mocambinho (Teresina).
Com essa equipe o Barras empatou em 1x1.



Os jogadores posando com o editor do Tribuna de Barras, Reinaldo Barros Torres









Por determinação de juiz do Piauí empresa do Rio de Janeiro é a primeira a bloquear o WhatsApp

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

A decisão de suspensão temporária do aplicativo foi uma sábia atuação do Juiz Luiz Moura Correia, que é de família da cidade de Barras.
O Núcleo de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança do Piauí informa que uma empresa de provedor de infra-estrutura (backbone) com sede na região Sudeste do País acatou a decisão judicial do juiz da Central de Inquéritos da Comarca Teresina e bloqueou o aplicativo whatsapp para seus clientes. A medida atinge usuários do estado do Rio de Janeiro. 
Essa empresa foi a primeira do Brasil a cumprir a decisão judicial. A Secretaria Estadual de Segurança reitera que a medida cautelar tem o intuito de pressionar o aplicativo a colaborar com as investigações da polícia do Piaui.
A medida atinge os clientes do provedor backbone que cumpriu a decisão, mesmo após desembargadores do Tribunal de Justiça derrubar a liminar do juiz Luiz de Moura Correia.
De acordo com a Secretaria de Segurança, essa medida não atinge operadoras de telefonia. 
"A internet trafega por duas vias ou por operadoras ou por backbones. No caso em questão, uma empresa de backbone decidiu acatar a decisão do juiz e bloqueou o aplicativo", esclarece a assessoria de comunicação da Segurança.
Decisões dos desembargadores
A decisão do desembargador José Ribamar Oliveira suspende apenas o bloqueio total do WhatsApp, mas mantém as demais ordens judiciais do juiz Luiz de Moura Correia, da Central de Inquéritos de Teresina (PI).
A outra decisão é do desembargador Raimundo Alencar, que usa de argumentos semelhantes a Oliveira. Os dois alegam que a suspensão não seria razoável por prejudicar milhões de pessoas. 
A decisão do desembargador Oliveira foi dada em resposta a Telefônica Brasil S/A. A Vivo, marca que pertence a Telefônica, é uma das operadoras de telefonia móvel que receberam ofício para cumprimento da decisão. A empresa alegou, entre outros argumentos, que não teria condições de fazer a suspensão do serviço em 24 horas.
O que é backbone 
Na literatura sobre redes, o termo backbone é usado para designar o tronco principal de uma rede, ao qual podem estar ligados diversos roteadores, cada um com um segmento de rede específico. O backbone é a espinha dorsal que garante a interconexão dos diversos segmentos de uma rede. É preciso se ter claro que essa espinha dorsal não é composta apenas de um grande cabo, mas geralmente acaba sendo ela mesma uma grande rede.
Quando se trata de Internet, existem os "backbones Internet", que nada mais são do que uma rede baseada na arquitetura de protocolos TCP/IP de grande abrangência geográfica e de grande capacidade de tráfego através da qual se interconectam redes de menor escala, sendo que o backbone Internet é capaz de rotear tráfego de dados entre as redes a ele ligadas e o resto da Internet.

Jovem é indiciado por polícia do Piauí devido compartilhar fotos pornográficas pelo WhatsApp

Um jovem de iniciais C. D. está sendo investigado pela Polícia Civil de Paulistana, sul do Piauí,  por compartilhar pornografia infantil através da internet. O caso foi descoberto no município de Jacobina, a 434 km de Teresina.
De acordo com a polícia, desde o final de 2014, o jovem estaria compartilhando fotos pornográficas suas por meio do aplicativo WhatsApp, e também recebia fotos de uma adolescente. Além disso, o acusado estaria tentando influenciar outras jovens a lhe enviar fotos nuas. Familiares da adolescente afirmam que ela teria sido iludida e coagida para que aceitasse a troca de fotos. O suposto vazamento das imagens levou a mãe da menor a registrar B.O na Delegacia.
Com a investigação em andamento, a polícia já apreendeu celulares contendo material pornográfico, o que comprovaria a veracidade do caso. Devido ao aumento desse tipo de crime no Brasil, o delegado regional em exercício, Otony Nogueira Neto, chama a atenção para o caso. “A preocupação da polícia vem crescendo e estamos aumento o combate deste tipo de prática”, afirma. Menores de idade estão também "fazendo farra" enviando uns para os outros, fotos da suas partes íntimas e transando - que são compartilhadas.
A divulgação de pornografia infantil pela internet é considerado crime sob pena de reclusão de 1 a 8 anos, além de pagamento de multa. Na semana passada, a justiça federal obteve a condenação de Adawilcifran Teles da Silva, acusado de troca e divulgação na internet de imagens e vídeos contendo cenas de sexo explícito e pornografia envolvendo crianças, além de ter armazenado material pornográfico em sua casa entre 2011 e 2014.
Em fórum de sites pedófilos na internet, Adawilcifran era conhecido como “o melhor amante de crianças do mundo”.
(*) Portal Cidade Luz

Torcedor do Fortaleza espancado por membros de organizada do River relata momentos de terror


Um operador de microcomputador, de 26 anos, relata ter sido agredido por membros de uma organizada do River-PI durante o jogo com o Fortaleza, no estádio Albertão, em Teresina, pela terceira rodada da Copa do Nordeste. O torcedor narra que foi abordado no intervalo da partida enquanto ia ao banheiro no setor das arquibancadas populares, recebeu chutes, socos e ouviu que seria morto. Uma viatura do Rone (Rondas Ostensivas de Natureza Especial) da Polícia Militar do Piauí o levou até o Hospital de Urgência (HUT). Espancado, o jovem teve uma costela fraturada. O caso consta no relatório do delegado de jogo, encaminhado à Confederação Brasileira de Futebol. A torcida organizada citada não foi encontrada para comentar o caso.

A agressão, segundo o operador, aconteceu porque ele estava com uma camisa similar ao do Fortaleza, adversário do Galo na partida. Contudo, o uniforme – de acordo com o torcedor – era do Comercial-PI. No momento do espancamento, o River-PI perdia por 2 a 0.  
- Fui ao banheiro, perto dos 46 minutos do segundo tempo, e cinco torcedores me seguiram. Dois ficaram fazendo guarda e interromperam a passagem de volta, os outros três começaram a me agredir. Cheguei a dizer e mostrar que a camisa não era do Fortaleza, mas sim do Comercial-PI. Todos eles estavam com camisa regata com o símbolo da torcida Esporão do Galo. Eles chutaram na parte da costela e um tentou me dar um soco no rosto, só que consegui fugir do golpe. Eles diziam que iriam me matar: 'Vai morrer', diziam. E bateu um desespero. Algumas pessoas viram, mas não fizeram nada. Não havia nenhum policial na parte de baixo do estádio – conta o torcedor agredido.
Eles diziam que iriam me matar e bateu um desespero (...) Sorte que eles não estavam armados (...) Eles não são torcedores, mas sim animais, bichos (...) Foi uma fúria banal de delinquentes"
Trechos do relato do torcedor que
foi agredido no estádio Albertão, em Teresina 
O operador de microcomputador explica como conseguiu escapar da agressão.
- Me chutaram pelas costas, e eu protegia o meu rosto. Levei muitas pancadas do lado direito. Comecei a correr, mas eles me alcançaram. Até que consegui subir na parte da arquibancada e, com mais gente ali, eles me deixaram de mão. Só por conta disso eles pararam. Sorte que eles não estavam armados. Comecei a passar mal, pensei que tivesse tido uma hemorragia, sai do estádio e encontrei uma viatura da Rone, pedi para me levar urgentemente ao hospital. Eles não pretendiam parar, colocaram para quebrar mesmo  – completa. 
Torcedor relata ter sido agredido por torcida organizada do River-PI (Foto: Arquivo Pessoal)Torcedor diz que agressores confundiram camisa do Comercial-PI com Fortaleza (Foto: Arquivo Pessoal)
Natural de Campo Maior, cidade localizada a 78 km da capital Teresina, o torcedor revela que vai ser difícil retornar ao Albertão. Com a costela fraturada e ainda com marcas no corpo da agressão, o jovem tem que passar mais uma semana de repouso. A paixão de ir ao estádio, de acordo com ele, ficou manchada na noite da agressão dos membros da organizada tricolor.
- Fiquei com trauma agora e tenho que respeitar o meu medo agora. Vou passar duas semanas imobilizado. Bater em uma pessoa por conta de uma camisa é algo tão banal. Eles não são torcedores, mas sim animais, bichos - lamenta o torcedor.  
E ele segue: 
- Sempre prestigiei o futebol. Desde os 15 anos de idade saía de Campo Maior só para assistir jogo em Teresina, quando tinha. Hoje não consigo mexer bem o meu lado direito, nem dormir e até espirrar dói. Nem consigo caminhar. Não posso dizer que não vou voltar mais ao Albertão... Mas como está tão recente, não voltarei mais. Você fica com um trauma, poderia ter morrido em uma situação daquela porque eles falavam que iam me matar. Não sei como reagir quando entrar lá de novo. Fiquei com medo.
River-PI x Fortaleza (Foto: Abdias Bideh/GloboEsporte.com)Duelo entre River-PI e Fortaleza levou mais de 6 mil torcedores ao Albertão (Foto: Abdias Bideh/GloboEsporte.com)
O coronel Jaime de Oliveira, delegado do jogo River-PI x Fortaleza, informou que o torcedor agredido acabou entrando na área destinada à torcida organizada do Galo, que estava isolada por policiais militares. O militar lamentou o caso, considerando-o isolado.  
- Ele foi espancado, isso é triste acontecer no estádio. Sabíamos que poderia acontecer um confronto e certificamos de tudo. As torcidas entraram escoltadas e havia o isolamento. Esse torcedor acabou indo sozinho ao lado da organizada, se infiltrou. Infelizmente, aconteceu. Tem uma parte da torcida Esporão do Galo que é agressiva, bandidos travestidos de torcedores. Já comunicamos à diretoria da torcida para que seja feita uma seleção. Foi esse grupo de má índole que espancou o rapaz – contou Jaime Oliveira.  
Relatório de partida do Albertão mostra agressão a torcedor (Foto: Reprodução)Trecho do relatório da partida que descreve agressão (Foto: Reprodução/CBF)

A violência descrita no relatório encaminhado à CBF, segundo o delegado da partida, pode render punição ao River-PI. A Polícia Militar, de acordo com o oficial, vai manter a tropa de choque para a última partida do Galo no Nordestão, no dia 18 de março, contra o Botafogo-PB. Além disso, reforçar o policiamento.  
- A PM vai um estudo antes da partida, pergunta quantos torcedores da torcida adversária vem ao estádio e elabora o seu plano. O que vai acontecer agora é que os policiais irão detectar e retirar aquele torcedor que esteja fora do lugar definido na separação das organizadas. Infelizmente, um fato isolado aconteceu. Agora, ninguém sabe o que vai render ao River-PI, que pode ser penalizado por violência nas arquibancadas – contou. 
O torcedor agredido, contudo, não vai esquecer a violência dentro do estádio. 
- Foi uma fúria banal de delinquentes. Tenho certeza que as pessoas que me agrediram não foi a primeira vez que fizeram isso. São máfias por trás de torcida que não tem nada a ver com torcedores de verdade. Sai com vida, mas poderia ser bem pior. Poderia ter morrido
(*) Matéria reproduzida do globoesporte.com/piaui

Governo do Piauí abandona construção de ponte e moradores constroem com as próprias mãos!



Nesta Quinta-feira (26), a população do município de Arraial, distante 235 Km ao sul de Teresina,  se revoltou e resolveu fazer com as próprias mãos a ponte que liga o centro da cidade ao Bairro Cidade Nova e a toda região rumo às cidades de Cajazeiras, Santa Rosa e Oeiras.
A ponte sobre o Rio Arraial foi construída com madeiras no final de 2013, porém, no ano passado, o Governo do Estado resolveu fazer a obra de concreto e abriu licitação por meio do IDEPI para a construção da referida obra. 
Acontece que a empresa vencedora se instalou na cidade de Arraial e após a licença concedida pela Prefeitura Municipal, iniciou a obra, porém apenas retirou as madeiras da ponte e abandonou a obra sem construir a prometida ponte de concreto.
Em novembro do ano passado, os vereadores de Arraial aprovaram um documento e encaminharam à equipe de transição do Governo do Estado do Piauí, onde os mesmos solicitaram providências urgentes, haja vista que o período chuvoso que se iniciaria.
Há um mês o governador Wellington Dias (PT), quando estava em Cajazeiras do Piauí, município vizinho de Arraial (27 km), prometeu a construção da referida ponte, mas esqueceu-se ou resolveu não realizá-la.
Os moradores de Arraial, em especial carpinteiros, açougueiros, professores e estudantes, de tanto esperar por uma ação emergencial do Governador do Estado não aguentaram mais esperar e resolveram construir uma ponte de madeira improvisada, como se vê as imagens postadas em redes sociais.


(*) Reportagem: Rauristênio Bezerra

Caiçara contrata primeiro jogador estrangeiro da sua história: atacante Mouhamadou Leye

Do futebol do Senegal, na África, jogador desembarca em Campo Maior para
vestir a camisa do Caiçara Esporte Clube
O atacante Mouhamadou Leye, de 20 anos, foi apresentado nessa Quinta-feira (26) em Campo Maior, cidade distante 72 Km de Barras, e passa a ser uma das opções do técnico Paulo Isidoro no Caiçara Esporte Clube  para a disputa do Campeonato Piauiense.

O jogador africano, com passagem pelo Dakar Sacré-Coeur, do Senegal, desembarcou em Campo Maior com outros três nomes: Antônio Carlos (goleiro), Marlon (meia) e Adelso (lateral-esquerdo). O clube estreia no Estadual contra o River dia 15 de Março, em Teresina.

- As contratações são todas decididas em conjunto (com a comissão e diretoria). Ele é um atacante rápido e de velocidade – resumiu o treinador.
Com a chegada dos novos contratados, o Alvirrubro de Campo Maior chega aos 30 nomes em atividade na pré-temporada. Contudo, alguns jogadores ainda em avaliação devem ser dispensados. O clube iniciou a preparação antes do Carnaval e, restando apenas duas semanas para o pontapé no estadual, o Leão começa a definir o desenho da equipe que vai a campo no torneio.
Mouhamadou Leye é o primeiro estrangeiro a atuar no Caiçara. No Piauí Esporte Clube atualmente treina um colombiano. O Barras Futebol Club já teve um uruguaio e um português e o Flamengo do Piauí, um português (o mesmo que atuou no Barras). É esta a lista de estrangeiros que atuam ou já atuaram no futebol piauiense.

Em Brasília, Edílson Sérvulo consegue recursos para calçamento de ruas na periferia de Barras

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015


O deputado federal Júlio Cesar Carvalho Lima, considerado um dos mais atuantes deputados piauienses na Câmara Federal, esteve em Brasília no Ministério das Cidades juntamente com o prefeito de Barras,  Edílson Sérvulo.
O deputado e o prefeito de Barras estiveram no Ministério à busca de recursos para  obras de pavimentação e melhorias no sistema habitacional da Terra dos Poetas.  Nesta Quinta-feira (26), eles participaram de reuniões com o Secretário Executivo Elton Santa Fé e com a Secretária Nacional de Habitação, Inês da Silva Magalhães.
Segundo o Deputado Júlio Cesar já foram liberados 6 mil metros de calçamento para os bairros mais carentes de Barras, além de verbas para construção da Orla do Rio Marataoan.

Pastor evangélico foge ao ganhar R$ 31 milhões na mega-sena


Um pastor evangélico, identificado como Bruno Monteiro, da Igreja Assembleia de Deus Monte Santo, é o dono do bilhete da aposta feita em Teresópolis (RJ), ele acertou as seis dezenas do concurso 1.480 da Mega-Sena, e levou o prêmio de R$ 31.618.202,79.

Segundo informou a Caixa Econômica Federal, o pastor já fez o saque da prêmio e nunca havia apostado, mas recebeu uma revelação em sonho, em que ele via os números que o fariam prosperar na terra.

Ao acordar, não pensou duas vezes, correu até uma casa lotérica, e fez sua aposta.

Ao conferir o resultado do sorteio, a suposta "Revelação" se confirmou.



Os números sorteados foram os mesmos que ele havia apostado: 09 - 14 - 21 - 26 - 36 - 52. Portanto, ele ganhou sozinho o prêmio de mais de 31 Milhões e seiscentos mil Reais. 

A igreja em Teresópolis está sob os cuidados do segundo dirigente, uma vez que o pastor Bruno Monteiro fugiu com a família para lugar desconhecido dos seus amigos. A direção da Assembléia de Deus informou que está providenciando um novo ministro para assumir a direção da igreja e espera que o novo milionário congregue a igreja central da AD. 

Membros da igreja esperam o retorno do pastor. Alguns acreditam que o pastor deveria abençoar parte dos irmãos da igreja com doações em dinheiro, porque ele sempre foi ajudado por eles.

Enfim, o novo milionário voltará?

Juíz de família de Barras determina suspensão do Whatsapp no Brasil. Entenda o caso

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

O juiz da Central de Inquérito da Comarca de Teresina Tribunal de Justiça do Piauí, Luiz Moura Correia (foto ao lado), determinou que todas as companhias de telefonia suspendam temporariamente até o cumprimento da ordem judicial o Whatsapp em todo o País. Ele informou que o motivo da suspensão do Whatsapp em todo mo Brasil não pode ser explicado porque a ação tramita em segredo de Justiça.
A Secretaria Estadual de Segurança do Piauí informou que a suspensão do Whatsapp em todo o Brasil foi requerida pela recusa da rede social em não retirar de circulação imagens de crianças e adolescentes expostas sexualmente, objeto de uma investigação feita em inquérito aberto em Teresina pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente da capital piauiense.
O Whatsapp de forma irresponsável, não teria cumprido a solicitação de retirada das imagens em circulação e foi solicitada à Justiça a sua suspensão em todo o País. As empresas de telefonia foram comunicada da decisão do juiz Luiz Moura Correia em 19 de Fevereiro de 2015 por meio de um ofício do delegado Éverton Ferreira de Almeida Férrer, do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí.
O prazo para a suspensão é de 24 horas e atinge os domínios whatsapp.net e whatsapp.com.
"Suspenda temporariamente até o cumprimento da ordem judicial, em todo território nacional, em caráter de urgência no prazo de 24 horas após o recebimento, o acesso através dos serviços da empresa aos domínios whatsapp.net e whatsapp.com, bem como todos os seus subdomínios e todos os outros domínios que contenham whatsapp.net e whatsapp.com em seus nomes e ainda todos números de IP (Internet Protocol) vinculados aos domínios já acima citados", determina o juiz Luiz Moura Correia.
O juiz Luiz Moura Correia, que é de família da cidade de Barras/PI,  diz em sua sentença, que a empresa de telefonia deve garantir a suspensão do tráfego de informações de coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registros de dados pessoais ou de comunicações entre usuários do serviço e servidores da aplicação de trocada de mensagens multiplataforma denominada Whatsapp, em que pelo menos um desses atos ocorra em território nacional. As companhia de telefonia ingressam com recurso na Justiça para cassar a decisão tomada pelo juiz Luiz Moura Correia em 11 de Fevereiro, de cumpri-la. Éverton Ferreira de Almeida Férrer disse que se reuniu com os representantes das companhias de telefonia e a decisão do juiz Luiz Moura Correia será cumprida em todo o Brasil.
Em nota aos veículos de comunicação, os delegados Alesandro Barreto Gonçalves, Éverton Ferreira de Almeida Férrer e Daniell Pires Ferreira, do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança do Piauí, informaram que no dia 11 de Fevereiro foi expedido, pelo juiz da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, Luiz Moura Correia, uma ordem judicial ordenando a suspensão do aplicativo WhatsApp em todo o território nacional.
“A ordem judicial foi expedida em virtude de anterior descumprimento, por parte do provedor de aplicação de internet WhatsApp, de outras determinações de caráter sigiloso. Temos que esclarecer. também, que os processos judiciais que originaram as referidas decisões tiveram início desde o ano de 2013, mas até a presente data os responsáveis pelo Whatsapp não acataram as ordens judiciais, desrespeitando decisões tomadas pela Justiça Brasileira. O mandado judicial foi encaminhado aos provedores de infraestrutura (Backbones) e aos provedores de conexão (operadoras de telefonia móvel) entre outras. Por fim, cabe esclarecer que todas as representações e decisões judiciais acima mencionadas foram tomadas com base na Lei que instituiu e disciplinou o Marco Civil da Internet”, afirmaram os delegados.

Politica Local

Policia

Esporte

 

© Copyright Tribuna de Barras 2010 -2011 | Design by Misael Lima | Published by Tribuna de Barras | EXPEDIENTE: Reinaldo Barros Torres (Editor Responsável), Diretoria Comercial: Davi Santos Gomes, Diretoria de Expansão e Planejamento: Natan Santos Gomes, Diretoria Técnica Operacional: Misael Lima. CONSELHO EDITORIAL: Carlos Antônio Torres Gomes, Antônio José dos Santos Torres Filho, Zenóbia Cristina dos Santos Torres, Jardel Torres Pimentel, José Airton Pimentel Filho, Roney Rodrigues do Monte Torres, Wallace Monte Barros, Francisco das Chagas Torres Júnior, Daniel Santos Gomes, Roxana Torres, Apolo Victor Torres, Sandro Almeida Paz Filho, Gabriela Barros Almeida Paz, Adriano Albuquerque, Joanderson Torres, Jordana Torres, Lucas Daniel Lima Farias. CONTATOS COM A REDAÇÃO: Telefones: (86) 9949-6822, 9504-0788, E-mail: tribunadebarras@hotmail.com