Atualizadas :

Grande Barras

Cidade

Eventos

Sociedade

Turismo

"Seu Muniz", 68 anos, 29 filhos, o exótico massagista do Piauí Esporte Clube

sexta-feira, 29 de agosto de 2014


Saída 21. Estádio Albertão, em Teresina, no Piauí, ao lado da bilheteria da arquibancada especial. O endereço não poderia ser mais emblemático. É dentro de uma das salas da praça esportiva que mora uma das figuras mais exóticas do futebol brasileiro: Francisco Muniz de Lima, ou simplesmente Muniz. Aos 68 anos de idade, 48 deles dedicados aos gramados, o massagista do Piauí Esporte Clube mora no cubículo há pouco mais de um ano, desde que se separou da sua última companheira - “oficialmente” a terceira. Dos três casamentos, a prole de Muniz revela a sua fama de “pegador” e uma vitalidade que impressiona. São 29 filhos (cinco já morreram), todos eles registrados, segundo conta o papai, e com o fôlego de fazer mais. Detalhe, ele vibra com essa possibilidade e não liga para o apelido de Mr. Catra, funkeiro brasileiro famoso por sua música, versos e vasta lista de herdeiros. 

- Minha terceira mulher acabou optando em realizar a cirurgia da ligadura, se não fizesse isso já estaríamos com mais quatro ou cinco (risos). A fábrica não fechou, trabalha direto. É o dom que Deus me deu – solta, em gargalhadas, Muniz.
A casa do massagista era um depósito, usado para abrigar a antiga sede da Associação Profissional dos Cronistas Desportivos. O espaço pequeno é quente, abafado e fica exposto ao sol. Sem reclamar, o carinho de Muniz com o local fala por si. Na parede, um mosaico de fotos da atuação de Muniz no Piauí Esporte Clube, agremiação onde trabalha. Perto da TV, uma mesa com algumas ferramentas. Ao entrar na residência, a cozinha tem um fogão e uma mesa. No quarto, roupas e uniformes usados em dias de jogos e um espaço dedicado a orações.  

O massagista Muniz e o atacante Danrley, do time Sub-20 do Piauí Esporte Clube.
- Aqui é meu cantinho - resume Muniz.
Logo na entrada da sala, a bicicleta companheira. É com ela que Muniz pedala 15km até o CT do Enxuga Rato, na outra ponta da capital Teresina. A volta é logo após o fim dos treinos, e são mais 15km pedalados. Sobre uma mesa velha, já desgastada, da sala algumas medalhas. De tantas, elas ficaram agarradas. Na gaveta, fotos dos três últimos filhos: Sheila Karine, Mariane e Gabriel, de nove, oito e 12 anos de idade, respectivamente. 
- Quem registrou todos fui eu. Tenho ainda o Ivan, Ivaldo, Edvaldo, Reginaldo, Mariane, Sheila Kaline, Janiel, Daniel, Jardel, Carlos Gardel, Gabriel, Rejane, Janete, Regina... Fiz o parto do Jardel, que tem 16 anos, pois a mulher passou mal e o socorro não chegou. Quando os médicos chegaram, eu já tinha cortado o umbigo (cordão umbilical) do recém-nascido – recorda.
- É menino muito – se admira Muniz, sempre com muitas risadas.Com orgulho, ele até começa a fazer a chamada nominal dos filhos, mas logo interrompe a contagem.
Reunir todo mundo é complicado, tarefa difícil, do tipo impossível. Ele explica: oito moram em Floriano, localizada a 234km da capital piauiense, cinco estão em Belém, no Pará, e o restante espalhado nos bairros da cidade de Teresina. O primeiro casamento do massagista foi aos 14 anos, com Maria Madalena Cardoso. Viúvo, se casou novamente aos 20. Já com 30, a terceira união. E como não tem jogo fácil, as namoradas e paqueras não param de surgir na vida romântica - e agitada - do massagista.
- Não sei da onde vem, acho que é charme. Às vezes, começa com um abraço. Depois vem o beijo. Em seguida, trocamos ligações – diz, enquanto penteia os cabelos brancos.   
XAVECOS E HISTÓRIAS 
Ser jovem é uma questão de espírito. Craque no esquema da paquera e namoros, Muniz também é requisitado naquilo que também sabe fazer: atendimento médico. “O vovô galã” começou no futebol no ano de 1966, no Parnahyba, equipe do litoral do Piauí. Depois, serviços prestados em times já extintos, caso do Botafogo de Teresina. No currículo, Fluminense/PI, Auto Esporte/PI, no Ferroviário de Floriano/PI, Guarany de Sobral/CE, Comercial/PI e outros clubes do eixo Norte-Nordeste. Por pouco, Muniz diz que não foi parar no Corinthians/SP.
- Era no começo de 1980, fui convidado a fazer parte do comissão técnica deles. Mas só que o sentimento pela terra natal falou mais alto, resolvi voltar porque o pessoal do Flamengo-PI disse que iria assinar minha carteira e os benefícios da aposentadoria, mas nunca fizeram isso. Caso tivesse aceito ficar em São Paulo, chegaria até a seleção brasileira – relembra Muniz, mas sem nenhuma retaliação.
É do time rubro-negro piauiense que vem a época inesquecível na carreira do massagista. Foi o tricampeonato do Flamengo-PI em 1988, time que ele faz questão de lembrar: comandado pelo professor Gringo e composto por Waldinar, Baiano, Carlinhos, Zuega, Ribamar, Neto, Joniel, Malta, Etevaldo, Coxinha e Peu. Bons tempos, e as palavras carregadas de saudade não poupam ninguém das críticas sobre o atual momento do futebol.
- Naquela época era um campeonato mais elevado, tinha o público, vibração, mas depois foi esculhambando, entrando diretoria que não queria trabalhar só queria roubar. Trabalhei já com muito presidente ladrão, uns até já morreram, mas ainda tem outros e ai vem a imoralidade do futebol do Piauí. Uns metendo a mão e o outro puxando – diz Muniz, que tem como último título o vice-campeonato estadual de 2014 pelo Enxuga Rato.
O futebol é uma espécie de 30º filho de Muniz. Pudera, é quase meio século de atuação. Fora isso, o seu “quintal” é o gramado de um dos principais estádios do Nordeste, com 41 anos de fundação. O respeito é nítido, vem dos jogadores, dirigentes e até mesmo de Ronaldo Fenômeno. Em 1996, durante amistoso do Brasil contra Lituânia, no Albertão, Muniz guarda boas lembranças da vitória brasileira por 3 a 1. Do ex-jogador, ele recebeu chuteira e uma camisa, que virou R$ 800. O dinheiro foi aplicado para o pagamento de despesas dos 29 filhos. 
- Em um lance que o Ronaldo driblou o goleiro, ele pediu massagem. Falei a ele que eu era o “massagista do Nordeste”. Então, ele prometeu se fizesse gols iria dar todo o material dele. Fiz a massagem nele, e ele fez gol. Quando ele saiu, me deu a camisa, que enrolei embaixo da minha, e a chuteira, que dei para o meu chefe. Vendi a camisa por R$ 800 e comprei muita coisa, como as roupas dos meus filhos irem ao colégio - conta Muniz, que enfatiza:
- É menino muito - enfatiza em meio às gargalhadas.
Site do Piauí Esporte Clube: piauiesporteclube.com
(*) Matéria do globoesporte.com/piaui, assinada por Emanuele Madeira e Josiel Martins

Discos voadores estão assustando comunidades rurais de Barras, afirma professor


O professor Claudio Henrique Furtado (45 anos),  formado em Biologia pela Universidade Federal do Piauí - UFPI, afirma que já chegou a sentir a presença de extraterrestres em Barras. O fato ocorreu quando o mesmo comprou um transmissor  de link VHF e alterou a frequência.

Em entrevista ao portal A Grande Barras o professor afirma que outros barrenses já viram os chamados discos voadores. "Aqui em Barras varias pessoas já avistaram no céu estes objetos, mais nunca relataram o fato por medo do preconceito e das gozações dos demais" fala Claudio. Ainda, segundo ele "localidades rurais do Município como São Francisco e Cara Torta, são as que mais tiveram aparição destes objetos não identificados".
  
Professor Cláudio Henrique Furtado
O professor já realizou inúmeras pesquisas sobre a aparição destes objetos e em conversa com moradores das localidades acima citadas, ouviu inúmeros relatos de que um foco de luz muito forte aparentando uma bacia no céu, sempre as 21hs, geralmente costuma aparecer deixando vários moradores apavorados.

Claudio Henrique vai mais além e afirma que podem existir extraterrestres disfarçados entre nós em nosso Município, buscando informações sobre nossos costumes e nossa vida. Para validar ainda mais suas informações o professor informa que muitos dos avistamentos de OVNIs em Barras, coincidem com os que ocorreram no Maranhão e Pará em 1977 e que foram investigados pelo francês Jacques Vallée.

(*) A Grande Barras


Comercial goleia o São Francisco/AC e garante vaga na semifinal da Copa Norte Sub-20

quinta-feira, 28 de agosto de 2014




Em jogo realizado na tarde desta Quinta-feira (28) em Belém/PA o Comercial Atlético Clube, da cidade de Campo Maior, venceu o São Francisco, do Acre, pelo placar de 4x0 com dois gols de Wellington e dois de Gabriel.

Com o resultado o time piauiense garantiu vaga na semifinal da competição.

O jogo aconteceu no Estádio Francisco Vasques e valeu pela última rodada do Grupo B da competição regional. As duas equipes entraram em campo lutando pela classificação, mas o Comercial garantiu boa vantagem ainda no primeiro tempo quando terminou vencendo por 3x0.

Wellington abriu o placar aos 20 minutos. Aos 40 minutos Gabriel marcou o segundo e aos 44 minutos novamente Gabriel voltou a balançar as redes com time acreano.

Com 3x0 no placar o atual Campeão Piauiense Sub-19 diminuiu um pouco o ritmo mas mesmo assim chegava com facilidade ao gol do time do Acre. Aos 32 minutos Wellington marcou o quarto gol do time da cidade de Campo Maior/PI.

Com o resultado o São Francisco terminou sua participação na lanterna do Grupo B com apenas 1 ponto. Já o Comercial Atlético Clube chegou aos quatro pontos e garantiu sua classificação para a fase semifinal.

Semifinal:

Remo/PA x Comercial/PI
Paysandu/PA x Tarumã/AM

O campeão ganhará vaga na Copa do Brasil Sub-20/2015.

Pela primeira partida da semifinal da Copa Norte de Futebol Sub-20/2014 o Comercial jogará contra o Clube do Remo às 9:30h deste Sábado (30 de Agosto). 





Resultados dos jogos do Comercial até o momento:

Paysandu/PA 2x0 Comercial
Comercial 1x1 Americano/MA
Comercial 4x0 São Raimundo/AM












São Francisco, clube do estado do Acre.




(*) Fotos: Gil Galvão, especial para o Tribuna de Barras.



Promotor de Justiça quer impedir lanchonete de colocar cartazes de políticos


Há 36 anos funcionando margeando a BR-343, zona urbana de Água Branca, a "Lanchonete O Sales" tornou-se ponto de parada para muitos que trafegam pela Região do Médio Parnaíba Piauiense ou se destinam ao sul do Estado e cidades do sudeste do Maranhão.  O tradicional pão-de-queijo, bolos fritos, cajuína, sucos e iguarias das mais diversas, fizeram do local um dos mais conhecidos da região, além do bom atendimento dos irmãos Sales e seus funcionários.

Ponto de encontro de políticos de toda a região o lugar é frequentado assiduamente por prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais, senadores e nestes 36 anos de funcionamento foram muitos os governadores do Piauí que também ao trafegarem pela BR-343 deram uma paradinha na Lanchonete O Sales para saborearem em especial seu reconhecido pão-de-queijo. Calcula-se que por dia cerca de 800 pessoas passem pelo local e em período de grande movimentação como Carnaval, Semana Santa, a média é de 4 mil pessoas por dia.

Como tornou-se local de frequência de políticos e conceituados cidadãos da Região do Médio Parnaíba, a administração da Lanchonete O Sales procurou também investir em segurança visando dar mais tranquilidade ao seu público. Câmaras foram instaladas e seguranças noturnos passaram a estar presentes no lugar em virtude da preocupação também com caminhoneiros e viajantes outros que pernoitam por lá. A administração da Lanchonete O Sales preocupou-se ainda com a modernização e higiene dos seus banheiros, elogiados por muitos pelas suas singularidades em relação aos demais de estabelecimentos comerciais do interior do Estado.

Como é um lugar de muita movimentação há cerca de 10 anos,  políticos que passam pela Lanchonete O Sales procuraram sempre deixar afixados cartazes seus ou de candidatos que apoiam.

Wilson Martins, Valmir Sales, deputado Wilson Bandão e vereador
de Água Branca Francisco Emanoel 
O empresário Valmir Tavares de Sales (Secretário de Obras da Prefeitura de Água Branca) e dono do estabelecimento comercial, falando ao tribunadebarras.com disse que "a quantidade de cartazes afixados aumenta consideravelmente neste período de eleições e que nunca houve desentendimentos, pois o lugar é muito democrático, todos tem seu espaço para colocar o cartaz do candidato preferido. A lanchonete chegou até a ser uma atração por conta dessa singularidade, muitos param e ficam olhando os cartazes e apontando para quem votou em eleições passadas ou para quem vai votar". 

Mas se depender de Mário Normando, promotor de Justiça da Comarca de Água Branca, os dias dos cartazes de políticos na Lanchonete O Sales estão contados! O representante do Ministério Público no Município deu um intimato a gerência da lanchonete para que retire todos os cartazes de políticos. 

Promotor de Justiça Mário Normando
A decisão do promotor de justiça vem causando debates nas redes sociais entre os aguabranquenses e frequentadores do local oriundos de outras cidades. A maioria critica o promotor Mário Normando e cobra dele ação junto a processos que há meses se arrastam no Ministério Público Municipal além da presença de menores de idade em festas, bares, motéis e shows realizados na cidade após as 23 horas. É competência do Ministério Público Municipal ação, para que em obediência ao ECA - Estatuto do Menor, seja proibida a permanência de menores de idade em ambientes públicos sem o acompanhamento dos pais ou responsáveis, bem como punição para quem os vendem bebidas alcoólicas ou os encaminham ao mundo da promiscuidade. 

O cidadão aguabranquense Luiz Gonzaga Oliveira, comerciante em Brasília, é um dos que reclamam nas redes sociais da inoperância do promotor Mário Normando, diz ele: "Tenho processo que se arrasta há meses e ele não se manifesta". Já o jornalista Raimundo Andrade, também filho de Água Branca, diz: "Essa lanchonete já é bastante conhecida pelos viajantes e serve como referência para divulgar a cidade. Não vejo nada demais nesse fato da permanência dos cartazes já que todos tem direitos iguais. Mas como sou conhecedor das leis e se o promotor determinou isso, alguma infração ele deve ter encontrado. Como diz o ditado: "Manda quem pode, obedece quem tem juízo"." 

A editoria do tribunadebarras.com procurou falar por telefone com o promotor Mário Normando para ver sua versão sobre a proibição da afixação dos cartazes de políticos na Lanchonete O Sales e o porque da não proibição de menores de idades em lugares e horários proibidos por lei, mas ninguém atendeu ao telefone fixo.

Abaixo mais fotos da Lanchonete O Sales com seus famosos cartazes de políticos.







O Barras estreia neste Sábado no Campeonato Piauiense Sub-17. O adversário será o Tiradentes



Dentro da prerrogativa de fortalecer e revelar talentos, tem inicio neste Sábado (30) o Campeonato Piauiense Sub-17/2014.

Com 12 equipes, em sua primeira edição, o torneio acontece sob a organização da Federação Piauiense de Futebol (FFP). E como forma de ter uma integração com os estados, a FFP busca uma intermediação com as demais entidades de futebol para garantir o campeão piauiense da categoria o direito de disputar a Copa Rio Sub-17. Do mesmo modo, viabilizar ao segundo colocado a participação na Copa Bahia de Futebol Sub-17. As duas competições estão programadas para acontecer no primeiro semestre de 2015. 

Com o torneio, a FFP busca incentivar uma renovação no futebol com a implementação de diversas medidas de desenvolvimento para que os clubes possam cada vez mais se fortalecer e consequentemente colher os frutos deste trabalho desenvolvido inicialmente.

“A principal intenção de competições como essas é em decorrência a uma preocupação com a base, para que assim os clubes possam revelar talentos para o futebol do Estado” – pontua Cesarino Oliveira, presidente da FFP.

As partidas de futebol acontecem nos estádios Albertão e Lindolfo Monteiro, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da Polícia Militar do Piauí – CFAP, em Teresina, além do Estádio Kléber Teixeira, na cidade de Barro Duro.

As 12 equipes estão divididas em dois grupos. Compõem o Grupo os times do River, Tiradentes, Barras, Barro Duro, Fluminense Esporte Clube e Biroesportes. Já no Grupo B foram distribuídos: Flamengo do Piauí, 29 de Abril, Krac, Piauí Esporte Clube, Racing e Escolinha do Bill. Dois clube são do interior do Estado: o 29 de Abril é da cidade de cabeceiras do Piauí e o Barro Duro é da cidade de Barro Duro. 

Seis jogos marcam o inicio da primeira rodada da competição. 

Confira os jogos da primeira rodada:

30/08 – River x Barro Duro – 16 horas
Local: Estádio Kléber Teixeira (cidade de Barro Duro)

30/08 – Barras x Tiradentes – 16 horas 
Local: Campo do CFAP, em Teresina

30/08 – Fluminense do Piauí x Biroesporte – 16 horas
Local: Estádio Albertão, em Teresina 

30/08 – Escolinha do Bill x Racing – 16 horas
Local: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina 

30/08 – Flamengo do Piauí x 29 de Abril – 18 horas
Local: Estádio Albertão, em Teresina

30/08 – Piauí x Krac – 18 horas
Local: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina

Candidato a governador do Piauí faz campanha até em cemitério!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014


Após perder a reeleição para o Senado em 2010 e a disputa pela Prefeitura de Parnaíba em 2012, o ex-senador Mão Santa (Francisco de Assis de Moraes Souza), tenta voltar a ocupar um cargo público nas eleições deste ano, desta vez como governador do Piauí.
Conhecido no Congresso Nacional como um dos maiores críticos do ex-presidente Lula, o político do PSC atribui à “corrupção eleitoral“ do governo de “Luiz Inácio” sua derrota em 2010 e, apesar de ser apontado como terceiro colocado nas pesquisas de intenção de voto do Estado, tem confiança de que vai ganhar a eleição deste ano.
Ex-governador do Piauí (1995-2001), Mão Santa também já comandou a Prefeitura de Parnaíba de 1989 a 1992. Durante os anos em que esteve sem cargo público desde 2011, o político diz que deu expediente na Santa Casa de Misericórdia de Parnaíba. Mão Santa, ou Francisco de Assis de Moraes Souza, é médico, profissão que lhe rendeu o nome político.
A última pesquisa do Instituto Credibilidade, divulgada na primeira semana de Agosto, aponta disputa entre o governador Zé Filho (PMDB), que tem 42,5% das intenções de voto, o senador Wellington Dias (PT), que aparece com 31,8%. Mão Santa está com apenas 11,9%, mas diz que “a campanha vai muito bem” e acredita na vitória.
Para tentar reverter o quadro eleitoral, o ex-senador tem rodado por todo o Piauí, e as fotos de seu perfil no Facebook mostram que Mão Santa passou até por um cemitério durante a campanha deste ano. O registro aparece em álbum intitulado “Vamos ajudar a cidade de Piracuruca como governador! Com o nosso senador Gustavo Henrique 200”, em referência ao candidato ao Senado apoiado pelo político.
Questionado sobre o curioso ponto de campanha, o ex-senador diz que visitou dois cemitérios nas últimas semanas, mas, apesar de as fotos estarem no álbum de fotos de campanha, as visitas não tinham cunho eleitoral.
— Eu fui duas vezes [a cemitérios]. Um [por causa] de um amigo meu, médico. Amizade dentro da política. Amizade muito grande, ele sofreu muito, perdeu as pernas. Na cidade de Piracuruca, visitei o túmulo com a família. A outra visita foi na cidade de Guadalupe, quando visitei o cemitério por conta de um médico que foi político e, no fim da vida, sofreu muito.
Famoso pela irreverência com que discursava no Senado, Mão Santa costuma causar comoção por onde anda no Piauí. No mês passado, um jornal local noticiou que o ex-senador foi expulso de um shopping center no Estado. Segundo o noticiário local, os seguranças do centro de compras pensaram que ele estava fazendo campanha. O ex-senador nega que estivesse fazendo campanha e se explica.
— Quando eu chego, dá mais gente do que [para ver] o Roberto Carlos, pedindo autógrafo, tirando foto. Fui num desses shoppings e ocorreu. Dei uns cartões, mas era o meu, que diz “residência médica em cirurgia geral, atende na Santa Casa de Misericórdia”. Não tenho nem cartaz, o povo já me conhece, porque eu já fui governador do Estado.

(*) Fonte:Portal R7.com

Jogadores de time brasileiro deitam-se durante jogo em protesto contra atraso de salários


Sem receber salários há dois meses e direitos de imagem há quatro, os jogadores do Grêmio Barueri/SP decidiram não ir a campo para enfrentar o Operário, de Mato Grosso, pela Série D do Campeonato Brasileiro. Em solidariedade, os onze jogadores do Operário deitaram no gramado, dando boa contribuição ao repertório de protestos criativos lançados pelo Bom Senso FC, a fim de denunciar o atraso na organização do futebol brasileiro, pressionar a CBF por mudanças, neutralizar a Bancada da Bola e pedir ao governo que pare de se fingir de morto.
Ano passado, os jogadores entraram em campo com faixas, fizeram minuto de silêncio, cruzaram os braços após o apito inicial, sentaram no gramado e, na mais bacana de todas as ações, trocaram bolas de um lado a outro do campo, de um time para o outro, durante quase um minuto. O gesto dos jogadores do Operário valeu pela simbologia: mostrar um futebol que parece deitado em berço não tão esplêndido.
Além disso, o fato de ter acontecido por um problema com o Grêmio Barueri é sugestivo, e poderia ser a senha para o Bom Senso enquadrar os clubes de aluguel, esses estranhos jabutis depositados na árvore do futebol brasileiro e entre os quais o Grêmio Barueri é um dos destaques. Estreou na série A em 2009, e não fez feio. Surpreendentemente, na temporada seguinte o time mudou de nome e de cidade, virou Grêmio Prudente e se desfez de nove titulares. Não houve o menor cuidado em disfarçar que não se tratava de um clube, e sim de um balcão de negócios. No final de 2010 o Grêmio Prudente caiu para a segundona e, talvez por não se adaptar à culinária do oeste paulista, retornou a Barueri e recuperou o nome de batismo. O regresso à terra natal de nada adiantou, o time continuou despencando e hoje disputa a série D.
Numa tarde de sábado de 2009, eu estava em frente à tevê no jogo em que o Guarani garantiu sua volta à primeira divisão. Em meio à festa, um repórter perguntou ao então treinador Vadão quais eram os planos para 2010. Vadão respondeu que não tinha plano algum, já que nenhum dos jogadores pertencia ao clube e ele não sabia com quais poderia contar. Aquele Guarani apenas emprestava sua camisa – que já conquistara um Campeonato Brasileiro, em 1978, além de um vice em 1986 – para vestir os investimentos de um grupo de empresários. Da mesma forma que o Grêmio Barueri, ou Grêmio Prudente, ou seja lá que nome tenha o time quando você estiver lendo esse post, o Guarani voltou para a segundona em 2010 e caiu para a terceira em 2012, onde segue patinando (em 2013 terminou em 14º lugar e este ano faz campanha medíocre).
O Ipatinga, que também já passou pela série A do Brasileirão, em 2013 fez as malas e partiu para Betim, adotando o nome de sua nova cidade. Sofrendo de crise de identidade, voltou para Ipatinga mas manteve o nome de Betim, e hoje faz companhia ao Grêmio Barueri na série D. E por aí vai. São inúmeros os tais “clubes-vitrines” (irônico nome oficialmente adotado por quem deles se utiliza), que servem aos interesses de fundos de investimento, de prefeitos que enxergam no futebol um meio de melhorar a percepção de suas administrações ou de arrivistas que tudo o que querem daquele time é uma efêmera passagem pela primeira divisão, suficiente para enriquecer o currículo de seus contratados e, a curto prazo, os próprios bolsos. Clubes, torcidas e tradição que se danem.
Provavelmente não resolveria de vez, mas uma das saídas seria rever o critério de subida e descida entre a primeira e a segunda divisões. Poderíamos pelo menos pôr em discussão outras fórmulas existentes, como a que leva em conta a média dos pontos conquistados nas três últimas temporadas. Ou pensar em algo semelhante a um torneio da morte, promovendo confrontos diretos, ou triangulares, ou quadrangulares, seja o que for, para decidir se alguém cairá ou subirá. Tornar mais lento e trabalhoso o acesso à série A dificultaria a vida de quem só pensa em lucros imediatos, já que os clubes teriam que ralar alguns bons anos até alcançar a visibilidade garantida pelos jogos contra os grandes.
Sim: não há espaço para uma discussão como essa no futebol do século XXI, em que o dinheiro virou senhor absoluto e atua sem que se pergunte de onde ele vem ou a que está servindo. Mas não precisamos de mais coisas que puxem o nosso futebol para baixo.
Também não é justo exigir do Bom Senso solução para tudo, sob o risco de daqui a pouco cobrarmos uma posição do grupo em relação aos baixos níveis da reserva da Cantareira. No entanto, conhecidas as propostas iniciais do movimento e – batidinhas na madeira – obtidas suas primeiras vitórias, talvez seja o caso de apontar o foco para essas aberrações que hoje inundam o futebol brasileiro.

Natal é a pior cidade do Brasil em saneamento básico. Teresina é a nona

Teresina (foto) ainda tem muito a melhorar, ocupa a nona posição. Natal/RN é a pior do ranking. 
De acordo com o levantamento, das 20 cidades com melhor colocação no ranking, 16 estão no Sudeste.  O Instituto Trata Brasil tem como objetivo descobrir se as regiões alcançarão a meta do governo de universalização do saneamento básico até 2033 – que é 92% da população com serviço de coleta e 86% do esgoto tratado.  
A base de dados consultada foi extraída do SNIS 2012 (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento) do Ministério das Cidades.
Teresina figura entre as vinte piores cidades brasileiras no ranking do saneamento básico, ocupando a 9º colocação. São analisados critérios como rede de fornecimento de água potável, coleta e tratamento de esgoto, além das perdas de água.
Veja lista das 20 piores cidades no ranking do saneamento
1- Natal (RN)
2- Manaus (AM)
3- Várzea Grande (MT)
4- Cariacica (ES)
5- Aparecida de Goiânia (GO)
6- Belford Roxo (RJ)
7- Canoas (RS)
8- Juazeiro do Norte (CE)
9- Teresina (PI)
10- São Gonçalo (RJ)
11- Santarém (PA)
12- Gravataí (RS)
13- Duque de Caxias (RJ)
14- São João de Meriti (RJ)
15- Nova Iguaçu (RJ)
16- Macapá (AP)
17- Belém (PA)
18- Jaboatão dos Guararapes (PE)
19- Ananindeua (PA)
20- Porto Velho (RO)

Zé Filho: "Wellington Dias é mentiroso e lagarta é o governo que tocou fogo da Secretaria de Saúde"

Senador Wellington Dias (PT) e Governador Antônio José Moraes Souza Filho (PMDB)
O candidato do PT ao governo do Estado, Wellington Dias, foi o principal alvo de ataques dos candidatos Zé Filho (PMDB) e Mão Santa (PSC) durante o primeiro debate promovido pela TV Cidade Verde na noite desta terça-feira (26). Entre os seis adversários, ele foi questionado por quatro concorrentes em um único bloco. Lourdes Melo (PCO) e Neto Sambaíba (PPL) também voltaram suas perguntas para o senador petista. 
O primeiro questionamento do candidato à reeleição Zé Filho foi sobre o efetivo da Polícia Militar. Wellington Dias respondeu que quando assumiu seu primeiro governo existiam 6.400 policiais militares e que a mesma quantidade foi deixado, devido ao programa de reposição de policiais que foram aposentados e sendo repostos com os novos policiais concursados.
Zé Filho usou o termo "mentiroso" para afirmar que Wellington Dias não convocou nem 1.000 policiais durante o seu governo e lembrou o decreto que tirou o efetivo de policiais que fazia segurança em órgãos públicos e os convocou para ações na rua. 
Ele também disse que o chamamento dos concursos realizados pelo atual governo não estão repondo o efetivo que sai para a aposentadoria. Wellington Dias questionou ainda a segurança em Teresina, que segundo sua avaliação, está um desastre. "Passamos de 117 assassinatos quando deixei o governo para 287 segundo os últimos números divulgados pela polícia. Pretendo, ao assumir o governo, pedir ajuda a Força Nacional em uma ação emergencial".  
Wellington Dias devolveu a pergunta a Zé Filho o questionando sobre a lagarta elicoverpa. O candidato considerou a pergunta uma pegadinha e disse que tinha a humildade de assumir que não sabe de todos os problemas do governo. "Não tenho vergonha de dizer isso. Eu falo a verdade, é essa nossa diferença". Em resposta W. Dias disse que a lagarta é a responsável pelas perdas das culturas do milho, algodão e soja e atingiu vários municípios do Piauí. 
"Eu não preciso me preocupar com lagarta. Lagarta perigosa é quem põe fogo na Secretaria de Saúde", rebateu Zé Filho e aproveitou para questionar o senador sobre o rompimento da Barragem de Algodões. "Me diga como o senhor consegue dormir sendo o responsável pela morte daquelas pessoas?". Esse foi um dos momentos mais tensos do debate. 
Wellington subiu o tom e disse que era uma irresponsabilidade afirmar que seu governo foi negligente com Algodões. "Eu como governador não planejaria uma ação ou me omitiria para tirar a vida de ninguém".   
O candidato Mão Santa também direcionou perguntas ao senador petista e afirmou que o seu governo representou 12 anos de atraso ao Estado. "Eu sou oposição aos 12 anos de mesmice. São 12 anos mentindo e de muita corrupção". 
Wellington Dias, aparetemente irritado, respondeu que todas suas contas foram julgadas e aprovadas e que não responde a nenhum processo por corrupção. "Diferente de quem me ataca que foi julgado pelo Supermo Tribunal Federal (STF), condenado e afastado do cargo". 
(*) Sana Moraes, Cidade Verde

Comercial empata com o Americano pela Copa Norte Sub-20

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Os bravos jogadores do Comercial Atlético Clube, da cidade de Campo Maior.
O Comercial Atlético Clube, agremiação piauiense da cidade de Campo Maior, empatou na tarde desta Terça-feira (26) em 1x1 com o Americano, do Maranhão, em jogo válido pela segunda rodada do Grupo B da Copa Norte de Futebol Sub-20, sediada em Belém/PA.

Os gols da partida foram marcados no segundo tempo de jogo.O clube maranhense saiu na frente com gol de Paulo Roberto aos 13 minutos. O Comercial chegou ao empate aos 23 minutos com gol de Wellington.


Com o resultado o Americano chegou aos dois pontos com dois empates. Já o Comercial como havia perdido o jogo de estreia por 2x0 para o Paysandu/PA somou seu primeiro ponto e ocupa a última colocação do grupo.

O Comercial volta a jogar na próxima Sexta-feira (29) diante do São Francisco, do Acre,  e tem que vencer e com bom saldo de gols para garantir a classificação.

O "Bodão de Campo Maior", atual campeão piauiense Sub-19 e com vaga garantida na Copa São Paulo de Futebol Junior 2015, sentiu muito a falta do seu lateral-direito Danylo, agredido pelo lateral-esquerdo do Paysandu no jogo de estreia e sendo obrigado a ficar de fora do jogo de hoje contra o Americano/MA.

No outro jogo do grupo o Paysandu venceu por 2x1 o São Francisco/AC e conquistou antecipadamente vaga para a semifinal. Na próxima Sexta-feira (29) o Papão da Curuzu joga contra o Americano e pode chegar aos 9 pontos.


 Comercial Atlético Clube
 Americano, de São Luis/MA, empate de 1x1 com o Comercial
São Francisco, do Acre, próximo adversário

Politica Local

Policia

Esporte

 

© Copyright Tribuna de Barras 2010 -2011 | Design by Misael Lima | Published by Tribuna de Barras | EXPEDIENTE: Reinaldo Barros Torres (Editor Responsável), Diretoria Comercial: Davi Santos Gomes, Diretoria de Expansão e Planejamento: Natan Santos Gomes, Diretoria Técnica Operacional: Misael Lima. CONSELHO EDITORIAL: Carlos Antônio Torres Gomes, Antônio José dos Santos Torres Filho, Zenóbia Cristina dos Santos Torres, Jardel Torres Pimentel, José Airton Pimentel Filho, Roney Rodrigues do Monte Torres, Wallace Monte Barros, Francisco das Chagas Torres Júnior, Daniel Santos Gomes, Roxana Torres, Apolo Victor Torres, Sandro Almeida Paz Filho, Gabriela Barros Almeida Paz, Adriano Albuquerque, Joanderson Torres, Jordana Torres, Lucas Daniel Lima Farias. CONTATOS COM A REDAÇÃO: Telefones: (86) 9949-6822, 9504-0788, E-mail: tribunadebarras@hotmail.com